PUBLICIDADE

Topo

'Até quando homens vão fazer isso?', desabafa vítima de sequestro e estupro

Kallinny Trevisan Maia foi sequestrada na manhã de hoje, ao chegar ao trabalho em Cotia, na Grande São Paulo - Reprodução/Record
Kallinny Trevisan Maia foi sequestrada na manhã de hoje, ao chegar ao trabalho em Cotia, na Grande São Paulo Imagem: Reprodução/Record

De Universa, em São Paulo

02/06/2020 21h56Atualizada em 03/06/2020 14h20

Uma jovem de 19 anos foi resgatada depois de ser sequestrada e colocada no porta-malas de um veículo em Cotia, município localizado na Grande São Paulo, na última segunda-feira (1), segundo informações da polícia.

"Hoje fui eu e amanhã ninguém sabe quem vai ser. Até quando? Até quando os homens vão fazer isso com a gente?", disse Kalliny Trevisan Maia em entrevista ao programa Cidade Alerta, da TV Record.

Segundo as autoridades policiais, a jovem foi sequestrada enquanto ia para o trabalho na manhã de segunda-feira (1), no bairro Jardim Stella Maris. Como não compareceu ao serviço, câmeras de segurança foram checadas e, pelas imagens, houve a constatação de que a jovem foi colocada a força em um veículo.

A polícia prendeu o suspeito enquanto ele dirigia o veículo com Kalliny presa no porta-malas. O homem, de 37 anos, deve responder por sequestro, cárcere privado e abuso sexual.

"Tentou me enforcar com um cordão"

Pelo Instagram, Kalliny falou sobre a violência e agradeceu o apoio que tem recebido. "Eu tô muito feliz porque estou viva. Realmente pensei que não ia conseguir sair dessa. Mas queria agradecer a todo mundo que me ajudou, que mandou mensagem. Vocês foram importantíssimos, teve momentos que eram tantas ligações no celular, tantas mensagens, que o sequestrador ficou até desnorteado", disse.

Em seguida, mostrou as marcas que ficaram pelo seu corpo, incluindo uma ferida nos lábios e uma marca no pescoço. "Eu tô bem apesar de alguns hematomas. Como vocês podem ver, ele tentou me enforcar. Mas a minha força espiritual é tão grande que eu nem sei dizer como consegui sair disso. Estava o dia todo sem comer, sem beber água e eu consegui me livrar enquanto ele me enforcava com um cordão. Nem sei o que dizer, ainda estou tentando entender as coisas. Mas queria dizer para todo mundo muito obrigada e que eu estou bem".

Já pelo Facebook, pediu respeito ao momento delicado pelo qual está passando:

Boa noite, venho pedir encarecidamente que parem de divulgar notícias falsas, esta circulando muitas especulações e...

Publicado por Kalliny Trevisan Maia em Terça-feira, 2 de junho de 2020

Entenda o caso

Kallinny foi resgatada depois de passar mais de seis horas como refém. O agressor teria monitorado a rotina da vítima e premeditado o crime.

O ataque, segundo a polícia, ocorreu por volta das 8h da manhã, quando ela chegava ao trabalho. A polícia informou que o pai da jovem, um comerciante de 41 anos, soube que a filha não compareceu ao emprego e o fato gerou suspeita. Por isso, câmeras de segurança foram checadas. Uma vez que o sequestro foi constatado, a família acionou o socorro e as investigações tiveram início.

Durante buscas, a PM encontrou o veículo, a jovem e o suspeito, de 37 anos. O caso foi registrado como sequestro e cárcere privado no 2º DP de Cotia e encaminhado para a delegacia do município, que prossegue com as investigações.

Violência contra a mulher