PUBLICIDADE

Topo

Sobrinha de Michael Jackson diz que levou sete facadas após sofrer racismo

"Não consigo mexer meu pescoço. Estou com medo de ficar sozinha", disse a jovem em uma publicação em seu Instagram - Reprodução/Instagram
"Não consigo mexer meu pescoço. Estou com medo de ficar sozinha", disse a jovem em uma publicação em seu Instagram Imagem: Reprodução/Instagram

De Universa, em São Paulo

01/06/2020 10h21

Yasmine Jackson, sobrinha do astro pop Michael Jackson (1958-2009), disse ter sido esfaqueada sete vezes em frente de casa por uma mulher que teria lhe feito ofensas racistas nos Estados Unidos.

"Ela disse que faria isso porque eu era negra e isso é tudo que eu pude ouvir enquanto estava sendo esfaqueada. Não consigo mexer meu pescoço. Estou com medo de ficar sozinha", disse a jovem ontem em uma publicação em seu Instagram.

Junto ao relato em que fez na rede social, Yasmine anexou três fotos em que é possível ver duas linhas de pontos nas laterais de seu rosto, além de um curativo na parte de trás do pescoço.

"Peço a Deus que, se você tem algum tipo de ódio em seu coração para com os negros, você o cure. Eu não mereço isso, ninguém merece", desabafou.

Yasmine é filha de Joh'Vonnie Jackson, que é fruto de um relacionamento extraconjugal de Joe Jackson, pai de Michael, na década de 1970.

Joh'Vonnie também publicou em seu Instagram uma mensagem de desabafo sobre o incidente, dando mais detalhes sobre a situação ao revelar que a mulher era sua vizinha e postando uma foto do sutiã ensanguentado da filha.

"Minha filha implorou para que ela não a esfaqueasse e ela começou a esfaqueá-la repetidamente, até que um homem negro veio e puxou a mulher de Yasmine, e a mulher branca também o chamou de negro", relatou a mãe da jovem.

O caso ocorre enquanto os Estados Unidos enfrentam uma onda de protestos após George Floyd, um homem negro, ser morto em uma ação de um policial branco.

Diversidade