PUBLICIDADE

Topo

O que é nodo lunar? Astróloga explica como fator astrológico afeta vidas

Lua de 7 de abril, em Ronda - JORGE GUERRERO/AFP
Lua de 7 de abril, em Ronda Imagem: JORGE GUERRERO/AFP

Camila Eiroa

Colaboração para Universa

28/05/2020 04h00

A astrologia em 2020 não está para brincadeira. Enquanto passamos por diversas retrogradações, outra mudança importante acontece, a do eixo dos nodos lunares — também chamados de nós ou nódulos. O assunto, pouco explorado, é bastante importante para analisar o simbolismo dos astros e como eles podem refletir em nossa vida.

Eixo nodal e nódulos lunares

"Eixo nodal é onde se encontram dois nódulos lunares exatamente opostos. Esses nódulos inseparáveis não são corpos celestes, são pontos de intersecção entre a órbita da Lua ao redor da Terra e a eclíptica, que é o caminho aparente do Sol", explica a astróloga Maria Eunice Sousa. Segundo ela, o nodo sul marca o caminho descendente da Lua. Já o nodo norte, o caminho ascendente. Todo mês a Lua cruza a eclíptica do Sol.

Maria Eunice conta que são dois pontos que, no mapa natal de nascimento, têm a ver com a ideia de destino, missão de vida e propósito. Também falam de passado e futuro. "O nodo sul representa de onde estamos vindo, o passado. De uma leitura reencarnacionista, pode falar de vidas passadas. Já o nodo norte fala para onde devemos caminhar para evoluir. Representa o que viemos aprender e desenvolver nesta vida."

O eixo nodal trafega um par de signos por aproximadamente 19 meses. Desde novembro de 2018, ele vinha caminhando pelo eixo Câncer - Capricórnio. Agora, ele começa seu trânsito pelo eixo Gêmeos - Sagitário, que dura até janeiro de 2022. Ao longo deste período, os temas que entraram em destaque, individualmente e coletivamente, foram aqueles que dizem respeito a sociedade, família, vida profissional e vida privada. Aprender e buscar equilibrar a vida doméstica com as obrigações diárias era a tônica do momento astral.

Crenças x razão

Com a mudança deste mês, o trânsito passa a acontecer no eixo do conhecimento, da comunicação, das ideias e da mente. Onde a lógica encontra a intuição e a espiritualidade. A astróloga destaca que, com o nodo norte em Gêmeos, nosso caminho evolutivo adquire as as melhores qualidades geminianas e somos chamados a exercitar, cada vez mais, nossas faculdades críticas.

"É tempo de sermos objetivos, racionais e detalhistas. Porém, não é tempo de misturar crenças e espiritualidade com o mundo objetivo. Individualmente, precisamos pensar de forma crítica ao invés de confiar cegamente no que foi dito. Com o nodo sul em Sagitário, a gente não pode mais se deixar guiar cegamente pela figura do guru, do padre ou do pastor. As autoridades religiosas entram em questionamento agora e é necessário pautar nossas decisões e escolhas na racionalidade", declara Maria Eunice.

Mudanças sociais

Em uma esfera social, a mudança de eixo nodal fala diretamente sobre o comércio local (Gêmeos) e o comércio global (Sagitário). "Exportações e importações provavelmente vão cair. Vamos priorizar muito mais o comércio local, as atividades manuais e artesanais. Com o nodo norte em Gêmeos, a gente é convidado a redescobrir nosso entorno, nossa vizinhança, nosso bairro. É neste contexto que basearemos nosso consumo também", conta a astróloga.

"Coletivamente, a mudança nos faz repensar nossas crenças e a maneira como lidamos com o mundo objetivo. Nos últimos anos, diversas sociedades misturaram seus sistemas políticos com credos e religiosidades. Agora, precisamos pensar de forma crítica e não podemos permitir essas influências. Pensar coletivamente e com racionalidade: este deve ser o lema do momento", destaca.

Maria Eunice é enfática ao dizer que é o momento de estar no aqui agora, sem pensar no futuro. Por isso mesmo, e também pela pandemia, o turismo de longa distância fica desfavorecido. Outro setor que pede simplicidade, segundo ela, é o da educação. Será preciso simplificar os processos de maneira prática e objetiva, facilitando o conhecimento e os aprendizados.

Relação com os eclipses

O que poucas pessoas sabem é que o eixo nodal tem relação direta com as temporadas de eclipses. E, é justamente por causa dele, que não temos eclipses todos os meses nas Luas nova e cheia. "O plano da eclíptica é inclinado e, portanto, um eclipse só acontece quando a lunação se dá próxima ao eixo nodal. Quanto mais próxima, mais total e menos parcial é o fenômeno", explica.

Durante todo o tempo em que os nódulos estarão em Gêmeos e Sagitário, os eclipses acontecerão neste eixo também. Ou seja, serão configurações astrais que chamam a nossa atenção para o conhecimento e para a espiritualidade. Em 5 de junho acontece o primeiro eclipse com essa configuração, que promete ter forte impacto justamente pela mudança que acontece no céu.

"Razão e emoção, lógica e intuição. Como a gente equilibra o nosso senso crítico com a nossa fé, com a nossa busca por expansão espiritual? Como equilibrar a nossa mente racional com a nossa intuição? Esse eclipse vem, justamente, nos convidar a ter esse equilíbrio. É um marco importante para este ciclo, que dura até 2022", finaliza a astróloga.

Alto Astral