PUBLICIDADE

Topo

PGR se opõe à descriminalização do aborto e diz que tema não cabe ao STF

De Universa, em São Paulo

12/05/2020 11h05

O procurador-geral da República, Augusto Aras, posicionou-se hoje contrário a descriminalização do aborto até a 12ª semana de gestação. O parecer foi enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF).

No parecer, Aras acredita que o tema não compete ao Supremo, mas sim ao Congresso Nacional. Segundo ele, não é viável ao STF, no exercício da jurisdição constitucional, fazer juízos eminentemente políticos na incumbência do Poder Legislativo.

"Poder da República que detém legitimidade democrática e capacidade institucional para decidir sobre as questões políticas mais relevantes, conflitantes e sensíveis à sociedade", definiu Aras.

No fim do documento, o PGR opina pelo indeferimento da medida pela improcedência da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental.

O parecer foi feito em uma ação, com pedido de medida cautelar, proposta pelo Psol. A legenda busca que mulheres tenham direito constitucional ao aborto até a 12ª semana de gravidez e a garantia da realização do procedimento.

Direitos da mulher