PUBLICIDADE

Topo

Violência contra a mulher

Presidente da federação haitiana de futebol é acusado de abuso sexual

Yves Jean-Bart, conhecido como "Dadou", é acusado de abusar sexualmente de jovens atletas nos últimos 5 anos - Reprodução/Youtube
Yves Jean-Bart, conhecido como "Dadou", é acusado de abusar sexualmente de jovens atletas nos últimos 5 anos Imagem: Reprodução/Youtube

De Universa, em São Paulo

30/04/2020 16h21Atualizada em 30/04/2020 17h18

Presidente da federação haitiana de futebol (FHF) desde 2000, Yves Jean-Bart, conhecido como "Dadou", foi acusado de abusar sexualmente de jovens futebolistas nos últimos cinco anos no centro nacional de treinamento do país. O dirigente, no entanto, nega as acusações. As informações são do jornal "The Guardian".

As reivindicações de que as atletas eram forçadas a fazer sexo com Jean-Bart, incluindo um suposto caso de aborto forçado, foram feitas ao "The Guardian" por inúmeras fontes envolvidas com o centro, incluindo supostas vítimas e suas famílias. Segundo relatos, o presidente forçava as garotas a manterem silêncio sobre os casos de abuso.

"Há uma senhora que trabalha lá que pressiona as meninas a fazerem sexo com Dadou. Ele vê uma garota legal, que é atraente, e envia a moça para lhe dizer que ela será expulsa do centro. Ela começa a chorar e então a dama diz: 'A única maneira de resolver isso é falar com o pai'. Nesse momento, a jovem não tem escolha a não ser aturar o abuso sexual", disse uma das supostas vítimas.

Em resposta, Yves afirmou que as alegações eram "claramente uma manobra para desestabilizar a FHF, o caráter do presidente e sua família".

"Nunca houve nenhuma queixa contra a federação, nem contra os funcionários envolvidos em nossa academia, nem contra minha pessoa. Esse tipo de prática de abuso sexual é quase impossível em nosso centro de acampamento, dadas as estruturas físicas, os princípios de educação e a consciência contínua que colocamos em prática", ele concluiu.

A FHF disse que leva tais acusações "muito a sério" e que até o momento não recebeu "nenhuma reclamação nesse sentido".

O centro, fundado pela Fifa em 2001, acolhe muitas garotas ainda jovens, recorrentemente resgatadas de uma vida nas ruas. O local é visto como uma oportunidade de muitas meninas ganharem vida nova através do esporte.

Questionado pelo "The Guardian", um porta-voz da Fifa afirmou que conversou com representantes da federação haitiana sobre o assunto.

"Como é atualmente o caso das associações membros de outras regiões do mundo, a Fifa está em contato com a FHF com o objetivo de revisar seus estatutos e incorporar, entre outros, padrões de boa governança".

Quando reeleito como presidente da FHF pela sexta vez em fevereiro, Jean-Bart recebeu uma mensagem de parabéns do presidente da Fifa, Gianni Infantino.

Violência contra a mulher