PUBLICIDADE

Topo

Direitos da mulher

Influencer expõe trabalhadora doméstica na web e ironiza diária: "R$ 130?"

Luan Tavares também fez um vídeo se explicando sobre as "brincadeiras" que costuma fazer com a trabalhadora que limpa sua casa - Reprodução/Instagram
Luan Tavares também fez um vídeo se explicando sobre as "brincadeiras" que costuma fazer com a trabalhadora que limpa sua casa Imagem: Reprodução/Instagram

Nathália Geraldo

De Universa

29/04/2020 17h04

Um influencer com pouco mais de 150 mil seguidores no Instagram, Luan Tavares, publicou em seus Stories uma sequência de vídeos em que expõe a trabalhadora doméstica que limpava seu banheiro, identificada posteriormente como "Ana", questionando o valor da diária cobrado pelo serviço.

A quantidade de produto de limpeza separada pela trabalhadora também foi alvo dos comentários do influencer. "Ela vai gastar uma água sanitária só nesse banheiro". Luan recebeu uma enxurrada de críticas de pessoas na internet, pela exposição de Ana e pela falta de respeito direcionada aos profissionais de limpeza doméstica. O caso aconteceu em Itabaiana, em Sergipe, onde mora Luan.

A vice-presidente do Sindicato das Domésticas de Sergipe (Sindomésticas), Quitéria Santos, classificou o episódio como uma demonstração de que a relação entre patrões e trabalhadores — ainda mais afetada em tempos de isolamento social — permanece com um ranço da escravidão, ainda não superada no Brasil. "Ainda existe esse sangue de escravocrata que não saiu das pessoas. Acham que, porque estão pagando, a trabalhadora é propriedade delas", disse, em entrevista para Universa.

Influencer faz vídeo de trabalhadora doméstica e recebe críticas

Na publicação, Luan Tavares grava Ana se movimentando dentro de seu banheiro para fazer a limpeza do espaço. "Até que enfim [sic], limpando meu banheiro!", diz. Em tom irônico, o influencer comenta, então, do preço que ela cobra para realizar as tarefas dentro da casa que, "em tempos de crise", poderia abaixar. A mulher ainda tenta explicar que em Aracaju, capital sergipana, o dia de faxina custa R$ 130, mas ele rebate: "Aqui é Itabaiana".

"R$ 130? Tempos de crise, vamos abaixar, vou botar para R$ 60, tá ótimo. Agora, essa faxina é de três dias, né? Ela vai gastar uma água sanitária só nesse banheiro. Por R$ 130, os produtos de limpar você traz né?", fala Luan.

Para Quitéria Santos, vice-presidente do Sindomésticas, que representa pelo menos 14 mil profissionais da categoria, o caso denota um "problema seríssimo" vivido por muitas mulheres que trabalham limpando as casas de outras pessoas.

"É comum o patrão reclamar que está gastando muita água, material de limpeza, principalmente agora que se usa mais esse tipo de coisa, para matar o coronavírus. Sem contar que, nesse vídeo, ela está descalça, em contato com um produto que pode destruir os pés dela, e, principalmente, sem luvas e sem máscara", analisa, apontando que os empregadores deveriam oferecer equipamentos de proteção para as trabalhadoras.

Nas redes sociais, usuários reclamaram da postura do influencer. "Revoltante", "Não faz sentido esse tipo de coisa", "Que falta de respeito" foram alguns dos comentários deixados em páginas que repercutiram o caso.

Em um vídeo com pedido de desculpa, Luan se posicionou ao lado de Ana para dizer que tudo não passou de um "mal-entendido". Ele disse que a profissional trabalha "há bastante tempo" em sua casa, que mora no sítio dos pais dele, que eles sempre brincam entre si e que "semana passada até doou roupas pra ela pois ela é uma pessoa necessitada". Ele pede para que Ana confirme as informações.

"É uma brincadeira, porque a gente se conhece de muito tempo, e eu gosto de trabalhar na sua casa. Não achei ruim que você me filmasse, fui eu que mandei", diz a trabalhadora. O influencer responsabiliza os usuários da internet pela polêmica. "Alguns interpretam de uma forma, e outros de outra. Mas sou humano, sei dos meus direitos e dos meus deveres e sei respeitar o próximo".

Sindicato convoca para ajuda a empregadas domésticas

Quitéria explica que a relação entre os empregadores e os empregados que limpam a casa pode estar ainda mais sensível neste período de pandemia— já que, por recomendações das autoridades médicas, é necessário que se mantenha o isolamento social, o que impede que muitas saiam para trabalhar. Aliás, essa é a orientação da organização. "Que elas peçam adiantamento e que fiquem em casa. O que custa esperar um pouco para chamar as trabalhadoras também? O Brasil inteiro está falando 'cuide de quem cuida'; então, a orientação do Sindicato é que elas se protejam".

O Sindomésticas, assim, está fazendo uma campanha para doar cestas básicas às profissionais da categoria, em Sergipe, que sofrem os impactos econômicos da pandemia. Mantimentos podem ser doados na sede do Sindicato (Rua Própria, 386, Centro, Aracaju). Já doações em dinheiro podem ser depositadas na conta da entidade: Caixa Econômica Federal, conta poupança 90213-0, agência 059, operação 013, CNPJ: 32858623/0001-96.

Direitos da mulher