PUBLICIDADE

Topo

Sexo

Com os filhos em casa, está difícil transar no isolamento? Veja 5 dicas

iStock
Imagem: iStock

Heloísa Noronha

Colaboração para Universa

28/04/2020 04h00

Aquela velha dica clichê de deixar os filhos com os avós e dar uma escapadinha para o motel não faz mais sentido na nova realidade de muitos casais em tempos de isolamento social. Com as crianças em casa 24 horas por dia, 7 dias por semana, as oportunidades para transar ficaram ainda mais raras.

Isso, claro, quando sobra pique depois de um dia inteiro lidando com home office , homeschooling, tarefas domésticas, preparo de comida, protocolos de higiene para sair de casa comprar alimentos e remédios... É importante, no entanto, que homens e mulheres tentem não descuidar do relacionamento e da intimidade.

5 dicas fáceis e práticas para manter o casal conectado sexualmente:

1. Definir uma nova rotina - e coloque sexo no agenda. Para que o dia a dia com os filhos não se torne uma sucessão confusa de tarefas, lições de casa e afazeres domésticos, é crucial que o casal organize bem o tempo e se comprometa a não "furar" o combinado. O horário de dormir das crianças, em especial, deve ser estabelecido e cumprido, assim os dois conseguem ter um momento juntos para ver um filme, conversar, se conectar e, também, transar.

2. O desejo deve ser responsivo, não espontâneo. Em outras palavras, o ideal é que os dois não esperem o tesão aparecer, mas inventem situações para que ele surja. E isso pode durar o dia inteiro, com estímulos sensuais (um toque discreto, um beijo no lóbulo da orelha), insinuações de duplo sentido, envio de mensagens picantes (sim, sob o mesmo teto, por que não?)... Assim, quando enfim encontrarem um tempinho para transar, já estarão mais "ligados".

3. Filhos cochilando? Bora aproveitar! Crianças pequenas, de modo geral, costumam acordar bem cedo e ficam bastante elétricas no período da manhã. Como consequência, depois do almoço se rendem a um soninho gostoso. Esse é o momento certo para o casal aproveitar para, no mínimo, dar uns amassos ou partir para uma rapidinha gostosa que sequer vai comprometer o expediente do home office.

4. Tentem inovar. A quarentena tem feito com que todos os dias se pareçam iguais. Até a percepção do fim de semana mudou - como descansar ou relaxar a mente, em meio a tanta ansiedade, preocupação e coisa para resolver? Para não deixar o astral cair, principalmente no campo da sexualidade, o casal deve - quando finalmente estiverem a sós - deixar os perrengues do lado de fora do quarto e tentar algo que nunca fizeram antes. Pode ser uma posição diferente, um novo roteirinho de preliminares, um sexo oral com algum cosmético sensual... O que importa é renovar o cardápio de sempre.

5. Não foquem apenas na penetração. Nem sempre o sexo será possível, por vários motivos - um deles, aliás, é a falta de concentração para transar diante das circunstâncias instáveis em uma realidade refém de uma pandemia. Porém, especialistas recomendam tentar manter a cumplicidade e a intimidade em dia. Como? Com beijos na boca, uma massagem sensual no fim do dia, assistindo um filme na TV de mãos dadas, trocando palavras carinhosas, em um banho juntos... Manter ou tentar reviver o clima de namoro certamente são atitudes que farão bem para os dois.

Fontes consultadas: Ellen Moraes Senra, psicóloga especialista em terapia cognitivo-comportamental, do Rio de Janeiro (RJ); Livia Marques, psicóloga do Rio de Janeiro (RJ); Marina Prado Franco, Mestre em Psicologia Clínica pela PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo); Triana Portal, psicóloga clínica e terapeuta de casal, de São Paulo (SP) e Yuri Busin, psicólogo e doutor em neurociência do comportamento pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e diretor do CASME (Centro de Atenção à Saúde Mental), em São Paulo (SP)

Sexo