PUBLICIDADE

Topo

Mães e filhos

Estudos em casa durante a quarentena: veja dicas para pais e filhos

iStock
Imagem: iStock

Juliana Tiraboschi

Colaboração para Universa

13/04/2020 17h05

A quarentena por conta da pandemia do coronavírus fechou escolas Brasil afora. Como não existe uma orientação oficial para todo país, algumas escolas adiantaram as férias. Outras instituições, no entanto, decidiram passar exercícios e lições para os alunos resolverem em casa. Essa foi mais uma mudança na rotina de algumas famílias e muitos pais e mães e filhos estão se sentido perdidos por essa nova realidade.

Uma Medida Provisória publicada no dia 1/4 dispensou as escolas de educação básica do cumprimento dos 200 dias letivos previstos em lei, mas a carga horária mínima de oitocentas horas para o ensino fundamental e médio devem ser mantidas, e essas atividades feitas a distância irão compor essa carga mínima.

Para Bruna Elias, diretora pedagógica do Colégio Brasil Canadá, em São Paulo, como a escola está trabalhando em parceria com as famílias, tanto o professor quanto os alunos devem cumprir as atividades, da mesma maneira que o conteúdo trabalhado presencialmente. Mas ela não acha que os alunos serão prejudicados. "Não acredito em reprovação no final do ano por não realizar as atividades, até porque não sabemos como será cumprido o calendário escolar até lá", diz. Marizane Piergentile, diretora de educação da Rede Adventista de educação da região do ABCDM e Baixada Santista, em São Paulo, concorda que as aulas virtuais e tarefas enviadas pela escola devem ser encaradas como obrigatórias.

Claudio Oliveira, do Colégio Humboldt, afirma que os professores devem passar todas as orientações necessárias para a realização das tarefas e estarem disponíveis para tirar dúvidas. Portanto, dadas todas as condições para o aluno fazer as atividades, esses trabalhos podem sim serem contabilizados para o quadro de notas. "Lembrando que, geralmente, aprovação e reprovação exigem uma análise de todo o percurso", diz o orientador educacional. Ou seja, se o aluno vai trabalhar alguns meses em EAD, o professor terá o restante do período para avaliá-lo nas aulas presenciais, quando a rotina começar a voltar ao normal.

Veja as dicas de Bruna Elias, Marizane Piergentile, Claudio Oliveira e Márcio Perrote, orientador educacional do Colégio Franciscano Pio XII, para pais e filhos organizarem uma rotina de estudos em casa:

Para os pais:

  • Fortaleça o vínculo com a família. O isolamento pode aumentar os conflitos, mas pode também ajudar no convívio e na interação. "Muitos pais se queixam de não ter tempo para ficar com os filhos. O home office pode diminuir essa distância", diz Claudio Oliveira. Priorize tempo com a família durante as refeições, conversas e nos afazeres da casa, desligue o celular nestes momentos;
  • Estimule a autonomia. Acompanhe as tarefas do seu filho, mas deixe também que ele organize suas atividades sozinho. Uma dica de Claudio Oliveira é colocar o filho para fazer as tarefas no mesmo ambiente em que os pais estão fazendo home office, se possível, para que ele veja que os adultos também estão se adaptando a uma nova realidade;
  • Conversem com os filhos. É importante que as famílias ouçam as crianças nesse momento, para que elas fiquem mais tranquilas e para que possam compartilhar seus sentimentos. "As crianças podem estar angustiadas com a situação da pandemia. Talvez elas precisem falar sobre isso para ficarem com a cabeça mais livre para fazer as tarefas", diz Claudio Oliveira.

Para os alunos:

  • Mantenha uma rotina mínima. Tente continuar com os horários de acordar, tomar café e fazer a higiene pessoal de antes da quarentena;
  • Sono saudável é importante. Não fique assistindo TV ou mexendo no celular até altas horas e, muito menos, troque o dia pela noite. A educação a distância dá a possibilidade de o aluno fazer as atividades no momento em que achar melhor. Mas trocar o dia pela noite distancia o estudante dos colegas e dos professores que estão online, de plantão para tirar dúvidas;
  • Não fique de pijama o dia todo, vista-se para o dia de estudos. "Alguns alunos até vestem o uniforme da escola para estudar em casa", diz Marizane;
  • Defina um local fixo para os estudos, de preferência longe de portas ou janelas;
  • Separe os horários de estudo e de lazer. Divida seu dia com horários para manter o foco nas tarefas e estabeleça prioridades. Defina o horário de estudos com começo e fim de cada atividade, como acompanhamento das aulas, realização das tarefas, participação nas videoconferências, etc. "É preciso fazer um planejamento da semana e do dia, para não se perder", diz Márcio Perrote;
  • Aproveite para ler livros sobre assuntos que lhe interessam. "Assim é possível exercitar a leitura também durante o lazer", diz Bruna. Encontre diversão, assista a filmes e séries que te interessam nos momentos livres;
  • Use a internet com moderação. Determine horários para utilizar dispositivos móveis como celulares, tablets e videogame. Durante a execução das tarefas da escola, desligue as notificações no celular de aplicativos que não estão sendo usados nas lições;
  • Faça sessões de estudos de 45 minutos, como seria o período de uma aula na escola. Para os alunos do fundamental 1, esses ciclos de atividades podem ser mais curtos, de 30 minutos. Passado esse tempo, faça uma pausa, levante e caminhe um pouco pela casa, beba uma água;
  • Não leve comida para a mesa de estudo. Faça um lanche no mesmo horário em que faria na escola;
  • Faça revisões. À noite, reveja o conteúdo visto durante o dia. Isso funciona como a lição de casa no período de aulas presenciais;
  • Continue com as atividades extracurriculares, na medida do possível. Se você faz outras atividades extras, como tocar um instrumento ou praticar exercícios, tente continuar com essas rotinas;
  • Faça o bem. Ofereça ajuda virtual ou crie alguma iniciativa solidária.

Mães e filhos