PUBLICIDADE

Topo

Sexo

Casas de swing em SP medem temperatura de clientes e divergem sobre riscos

O casal Marina e Marcio não vai ao swing enquanto o coronavírus não retroceder  - Larissa Zaidan/Universa
O casal Marina e Marcio não vai ao swing enquanto o coronavírus não retroceder Imagem: Larissa Zaidan/Universa

Marcos Candido

De Universa

18/03/2020 04h00Atualizada em 18/03/2020 18h59

As casas de swing em São Paulo estão divididas. É preciso fechar as fronteiras do sexo e do amor liberal devido à pandemia do coronavírus?

Nesta semana, uma das principais baladas de swing da capital paulista anunciou a suspensão das atividades por "motivos de segurança e pensando no bem estar dos clientes".

A ação da Inner Club, em Moema, porém, foi um gesto quase solitário. A Enigma Club também cancelou eventos, mas outros dois endereços no mesmo bairro na zona sul de São Paulo afirmaram a Universa que vão manter o calendário do próximo fim semana.

Por telefone, a Hot Bar não quis se pronunciar, mas confirmou que a programação segue normalmente. A Imperium Club anuncia que estará aberta, pois os eventos "não ultrapassam a média de 500 pessoas" e que em todos ambientes há "PORTA ÁLCOOL EM GEL", assim, em caixa alta. Evitar aglomerações é uma das recomendações do Ministério da Saúde para conter o avanço do vírus no país.

Medição na porta da balada

Mesmo resistentes ao fechamento, o cuidado já foi redobrado na última semana. O casal Marina e Marcio teve a temperatura corporal medida antes de entrar na Hot Bar na sexta (13) e no sábado (14). Os dois, que dão aula para iniciantes no swing, temiam precisar ficar algum tempo afastados da matéria que lecionam.

Márcio preparou um look feito com fita isolante para ir no final de semana; casa não esvaziou - Reprodução
Márcio preparou um look feito com fita isolante para ir no final de semana; casa não esvaziou
Imagem: Reprodução

Os dois se comprometeram a ir na festa com os seguidores, mas recomendaram no Instagram que alunos e fãs do casal deveriam ficar em casa a qualquer sinal de gripe. Na semana passada, a cidade ainda não havia declarado estado de emergência devido ao vírus. Por isso, eles arriscaram, e Márcio fez até uma roupa de fita isolante para levar a esposa para a balada.

"A gente estava esperando a casa abarrotada, mas estava até tranquilo para ficar na pista e pegar bebida. Como não fomos na 'salinha', a gente não sabe como estava. No sábado tinha menos pessoas, mas ainda estava cheio e vimos bastante interação e muita gente brincando nos ambientes privativos", diz Marina. Não rolou paixão com outro casal.

Na próxima semana, já está decidido: os dois não vão. Foi preciso, inclusive, cancelar o curso de swing que o casal promove para casais iniciantes marcada para o próximo sábado. "Mas todo mundo entendeu", pondera.

Ainda não é claro se o coronavírus é transmitido por via sexual, mas é difícil não trocar gotículas de saliva durante a relação sexual.

Nesta quinta (16), o prefeito Bruno Covas (PSDB) decretou situação de emergência na cidade de São Paulo, onde foi confirmada a primeira vítima fatal do novo coronavírus. Desde o início da crise do coronavírus, o Ministério da Saúde recomenda que se evite aglomerações. Festivais de música, eventos esportivos e espaços culturais na cidade foram cancelados.

Atualização: após a publicação da reportagem, a Hot Bar anunciou nesta quarta (18) que cancelou as atividades do fim de semana.

Sexo