PUBLICIDADE

Topo

Pastor é preso após manter mulher refém e exibi-la nua em live na internet

Getty Images
Imagem: Getty Images

Carlos Madeiro

Colaboração para Universa, em Maceió

13/03/2020 11h10

Um pastor evangélico foi preso em flagrante ontem após manter a mulher em cárcere privado e ameaçá-la de morte por cerca de 12 horas em Campo Grande. Além disso, Jesus Gorgs, 40, cortou o cabelo da vítima e exibiu a mulher nua em uma transmissão ao vivo na internet.

Após a libertação, a vítima, que não teve o nome divulgado, foi levada a um hospital de Campo Grande, onde recebeu atendimento. Ela apresentava alguns hematomas.

Segundo a polícia, Jesus aceitou se entregar após uma longa negociação com policiais que foram ao local. O caso agora está sendo investigado pela Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher, que deve indiciar o suspeito por crimes de cárcere privado, lesão corporal, ameaça e por exposição de imagem indevida.

Ainda segundo a polícia, o pastor já tinha sido denunciado por ameaça contra a vítima e contra um fiel da igreja onde atuava. Ele afirmava crer que eles tinham um caso extraconjugal.

Em nota, a Igreja Evangélica Assembleia de Deus Mato Grosso do Sul "repudia com veemência" o ato criminoso do pastor. "[A igreja] não tolera de maneira nenhuma as atitudes e atos criminosos do cidadão Jesus Gorgs. Como uma instituição séria e debaixo da direção de Deus e da sua Palavra, condenamos com todas as forças atitudes que atingem a integridade física e a honra de qualquer mulher, assim como foi feito neste terrível episódio", diz.

A Igreja ainda diz que já tomou as medidas eclesiásticas e administrativas cabíveis, o excluindo do seu rol de membros. "Acima de tudo queremos manifestar o nosso apoio incondicional à Irmã que foi feita de vítima em toda esta situação. A Igreja de igual forma está se empenhando em cuidar e amparar, dando todo o suporte necessário, da maneira em que nos é cabido como instituição religiosa", finaliza o texto.

Jesus está preso à disposição da Justiça. Universa não conseguiu localizar a defesa do pastor suspeito.

Violência contra a mulher