PUBLICIDADE

Topo

Cuecas do avô? Britânico segue 'tendência' e não compra roupas há 10 anos

De Universa

12/03/2020 13h58

O chef de cozinha Alfy Fowler, de 29 anos, vive no Reino Unido, país que descarta mais de 140 milhões de libras (quase 850 milhões de reais) em roupas todos os anos, mas decidiu seguir o caminho contrário. Ao The Guardian, ele contou que não compra roupas há pelo menos dez anos e que conta com peças do avô no closet, inclusive cuecas.

"Eu costumava me importar com roupas quando era mais jovem, mas na universidade [onde estudou design de produto] percebi que a cultura do consumidor realmente não faz sentido, não parece certo", disse.

Uma pesquisa da Fashion Retail Academy divulgada pelo jornal britânico mostra que este pensamento é uma tendência crescente entre jovens do Reino Unido: 51% deles estão optando por comprar roupas caras, mas de longa duração, em vez de itens descartáveis.

Fowler contou que algumas de suas roupas têm aspecto "um pouco esfarrapado", mas que, para ele, "é mais importante ser fiel ao que acredito do que me importar com o que as outras pessoas possam pensar".

Uma das últimas roupas que comprou foi um casaco Paul Smith "há nove ou dez anos". A peça custou 140 libras (cerca de 850 reais).

Outra peça queridinha no closet do chef é uma bermuda da Adidas, que Fowler comprou aos 14 anos. "Ainda uso o tempo todo. O elástico se foi, então eu tenho que ter cuidado para garantir que o cordão esteja amarrado!", disse.

Mas a maior parte dos itens veio do armário do avô, depois que ele faleceu, incluindo uma jaqueta Barbour e cuecas Slazenger. "Minha namorada acha isso muito estranho", admite.

Fofuras