PUBLICIDADE

Topo

Violência contra a mulher

Weinstein é condenado a 23 anos de prisão por estupro e se diz confuso

STEPHANIE KEITH/AFP
Imagem: STEPHANIE KEITH/AFP

De Universa, em São Paulo

11/03/2020 12h08

Resumo da notícia

  • Harvey Weinstein foi condenado a 23 anos de prisão pelos dois casos de estupro e assédio sexual
  • Ele foi considerado culpado de agressão sexual em 1º grau por praticar sexo oral forçado na ex-assistente de produção Mimi Haleyi, em 2006
  • E também foi declarado culpado de estupro em terceiro grau da ex-atriz Jessica Mann em 2013
  • A defesa de Weintein declarou que a pena é "obscena"

O ex-produtor de Hollywood Harvey Westein foi sentenciado a 23 anos de prisão pelos dois casos de estupro e assédio sexual, pelos quais já era considerado culpado. Ele podia pegar até 29 anos de reclusão e chegou a pedir pela pena mínima, de cinco anos. Além dos 23 anos, ele passará mais cinco sob supervisão da Justiça norte-americana.

Weinstein foi à corte em Nova York, à frente do juiz James Burke — que anunciou a sentença — e falou durante a audiência de hoje. Em tom baixo, disse estar confuso quanto às acusações e afirmou ter remorso pelas mulheres, em um caso que levaram a toda uma corrente de protestos, na forma do #MeToo.

O ex-produtor foi acusado por dezenas de mulheres de ter atos inadequados frente a elas, mas dois foram a julgamento em Nova York. Um deles foi um estupro em um hotel de Nova York ocorrido em 2013 e o outro uma acusação de ele ter forçado outra mulher a fazer sexo oral nele, em seu apartamento, em 2006.

De acordo com o The Hollywood Reporter, Weinstein falou publicamente antes de ter lida a sentença e citou as mulheres que o acusaram de conduta inadequada e estupro: "Eu tenho um grande remorso por todas vocês. Eu tenho grande remorso por todas as mulheres", afirmou Weinstein.

O ex-produtor afirmou que acreditava ter uma "amizade séria" com Miriam Haley e Jessica Mann, mulheres que fizeram a acusação de assédio sexual. Ele segue negando os abusos e diz que fez sexo consensual com elas.

"Não vou dizer que elas não sejam grandes pessoas. Eu tive tempos ótimos com essas pessoas. Estou genuinamente confuso. Homens estão confusos com essa situação", afirmou ele.

Ambas as mulheres falaram antes da leitura da sentença. Uma delas lembrou um dia em tribunal em que pôde ser ouvida gritando de outra sala. "O dia de gritos ouvidos da sala das testemunhas foi o dia em que minha voz voltou com força total. Estupro não é só o momento da penetração. É para sempre".

Em coletiva de imprensa, Donna Rotunno, advogada de Weinstein, afirmou que a decisão da corte foi "obscena". "A sentença que acabou de ser proferida por este tribunal foi obscena. Estou com muita raiva por esse número (de anos de prisão). Eu acho que esse número é um número covarde para dar", disse Rotunno. "Tem assassinos que vão sair da prisão de um jeito mais rápido que o Harvey Weinstein", completou.

Entenda o julgamento

Weinstein foi considerado culpado de agressão sexual em primeiro grau por praticar sexo oral forçado na ex-assistente de produção Mimi Haleyi, em julho de 2006. O produtor de filmes como "Pulp Fiction" e "Shakespeare Apaixonado" também foi declarado culpado de estupro em terceiro grau da ex-atriz Jessica Mann em março de 2013, mas foi considerado inocente do crime de estupro em primeiro grau de Mann, assim como de duas acusações de ser um predador sexual, os delitos mais graves no processo e que poderiam levá-lo à prisão perpétua.

Os procuradores pediram a Burke que aplicasse uma sentença dura, já que Weinstein cometeu abusos "durante toda sua vida" e mostrou "uma total falta de remorsos" por suas ações. Em uma carta, também solicitaram ao juiz que considerasse outras 36 acusações de assédio e de agressão sexual contra Weinstein, que datam dos anos 1970 e que não fizeram parte do processo.

Mann e Haley contaram as suas versões do caso diante do juiz. "Agradecemos às sobreviventes por suas notáveis declarações de hoje e coragem indescritível nos últimos dois anos. Harvey Weinstein empregou nada menos que um exército de espiões para mantê-las caladas. Mas elas se recusaram a ficar caladas e foram ouvidas. Suas palavras derrubaram um predador e o colocaram atrás das grades, e deram esperança aos sobreviventes de violência sexual em todo o mundo", disse o promotor Cyrus Vance Jr.

No julgamento, a promotora Joan Illuzzi disse que Weinstein "mostrou uma atitude de superioridade e uma total falta de compaixão pelo próximo". Já a defesa pediu ao juiz para aplicar a pena mínima, porque Weinstein é um profissional bem-sucedido que ganhou dezenas de Oscars. "Sua história de vida, suas conquistas, suas lutas são simplesmente notáveis e não devem ser ignoradas, devido ao veredicto do júri", alegou.

Os advogados do produtor asseguraram que uma sentença maior ao mínimo equivalia a uma pena de morte, já que, segundo as estatísticas, um homem branco como Weinstein não viverá por mais de 12 anos.

Pai de cinco filhos, o produtor de cinema não foi preso imediatamente após o veredicto, porque começou a sentir palpitações e dores no peito. Foi levado para um hospital, onde ficou vários dias internado, submetido a uma cirurgia cardíaca e, em 5 de março, transferido para o presídio de Rykers Island, no Bronx.

Violência contra a mulher