PUBLICIDADE

Topo

Relacionamentos

Mari, Flay e Gabi têm amizade tóxica no BBB? Psicólogo explica relação

Reprodução/Globo
Imagem: Reprodução/Globo

De Universa

04/03/2020 12h26

Uma parcela do público do BBB 20 está preocupada com o relacionamento entre Gabi Martins e outras participantes do reality: Mari Gonzales e Flayslane Raiane. Nas redes sociais, as duas estão sendo acusadas de manipular a cantora, tirando a liberdade dela de se aproximar de outros grupos por meio de chantagens emocionais.

A acusação de "amizade tóxica" veio depois de um ultimato da dupla para Gabi. Elas disseram que estão decepcionadas com seu distanciamento. Durante o diálogo, Mari alegou: "Você disse que me amava. Isso pra mim não é amor".

Essa não foi a primeira vez que o público enxergou abuso emocional entre amigas do BBB. Na edição do ano passado, Hariany Almeida era muito próxima de Paula Sperling, mas a dupla vivia brigando. Tanto que, na noite anterior à final do programa, Hariany foi expulsa por agredir a amiga depois de uma festa na qual tiveram uma discussão acalorada.

De acordo com o psicólogo Reinaldo Renzi, amizades que causam danos emocionais são comuns também fora do reality. A seguir, ele explica a definição de "amizade tóxica" e caminhos para a resolução do problema.

Atenção aos sinais

O profissional explica que esse tipo de relação acontece quando uma ou ambas as partes envolvidas são desrespeitadas. "Se o amigo te usa como motivo de piada, revela um segredo seu ou usa das suas confidências para estabelecer um julgamento, a relação não pode mais ser considerada saudável", garante. Criticar o modo de se vestir ou falar; pedir roupas, dinheiro ou objetos emprestados e não devolver e chamar para sair somente quando está sem dinheiro, esperando que o outro banque o que gastar, também pode ser considerado tóxico.

Excesso de brigas e cobranças

"Desentendimentos são normais e podem ocorrer em qualquer amizade. As discussões podem ser saudáveis se resultarem em diálogos e acordos. É inclusive através desses estranhamentos que uma pessoa pode mudar de atitude se estiver passando dos limites", garante o profissional. No entanto, em sua visão, as brigas frequentes e cobranças além do normal não são benéficas. "Se a frequência estiver muito alta, é hora de rever o vínculo ou procurar se afastar", aconselha.

Cortar o vínculo não é tão fácil

"Da mesma maneira que nas relações amorosas, as amizades tóxicas se apoiam em um jogo psicológico em que uma pessoa é permissiva com relação aos abusos da outra. A manutenção da dependência é feita através de frases do tipo: 'só eu te entendo', 'se não estou do seu lado, ninguém mais está', 'se não sou eu para te apoiar, você não chega a lugar nenhum' e assim por diante", exemplifica.

O conselho de Renzi para quem está vivendo uma situação do tipo é procurar ajuda profissional. "Psicoterapia é o melhor caminho, pois mesmo colocando um fim na amizade, é provável que a pessoa se envolva em outros relacionamentos que não funcionam bem, nos quais ocupa um papel de vítima. É necessário fortalecer a autoestima para chegar na raiz do problema", garante.

* Com informações da matéria Amizade tóxica: Paula e Hariany mostram que amigos também passam do limite, publicada em abril de 2019.

Relacionamentos