PUBLICIDADE

Topo

Sexo

"Minha vida sexual melhorou muito depois que fiz uma cirurgia íntima"

Vulva, vagina - iStock
Vulva, vagina Imagem: iStock

De Universa

02/03/2020 04h00

Quando precisou fazer uma cirurgia para endometriose, em 2015, a designer Liane, 46, de São Paulo, resolveu "aproveitar a anestesia" para realizar um antigo sonho: reduzir seus pequenos lábios vaginais (veja relato completo abaixo). Assim como Liane, todos os anos, milhares de brasileiras se submetem à labioplastia ou ninfoplastia. O Brasil é líder mundial nesse tipo procedimento, segundo levantamento divulgado pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (Isaps, na sigla em inglês) em 2017. De 2015 a 2016, o aumento das intervenções foi de 80%, passando de 12 870 para 23 155.

Um dos motivos pelos quais tantas mulheres estão insatisfeitas com a aparência de suas vaginas tem a ver com a falta de familiaridade com a própria anatomia, segundo Ana Canosa, sexóloga e apresentadora do podcast Sexoterapia. "Muitas atrizes pornôs fazem cirurgia íntima para deixar os pequenos lábios todos certinhos, daí as mulheres que têm pequenos lábios hipertrofiados, mais roxinhos, às vezes assimétricos, acham que tem algo de errado com elas. Não tem", afirma. Ana diz que esse desconhecimento do próprio corpo tem relação com o fato de as mulheres não terem o costume de olhar para a própria vagina, nem para a das amigas durante a infância e a adolescência, como acontece com os homens, e também qual a imposição social estética.

Outra explicação para esses números, de acordo com a sexóloga, são as cobranças relacionadas ao corpo feminino e a dificuldade da brasileira de se libertar de padrões estéticos. Ela cita uma pesquisa de 2005 segundo a qual 35% das brasileiras se dizem insatisfeitas com o próprio corpo. "A gente constrói nossa identidade a partir do olhar do outro, mas é preciso balancear o ideal de onde queremos chegar e o que é possível", afirma.

Cirurgia íntima mudou minha vida sexual

"Os pequenos lábios da minha vagina eram maiores do que os grandes, e eu achava muito feio. Sou muito ligada em estética e isso me incomodava muito. Então sempre ficava enfiando os pequenos lábios pra dentro na hora do banho pra simular como seria a aparência da minha vagina se os lábios fossem menores. Nunca nenhum cara me disse que ela era feia, mesmo assim eu não ficava totalmente à vontade para ficar sem roupa na frente dos caras. Depois que fiz a cirurgia, eu recebo elogio de todos os caras com quem eu transo. Eles piram, dizem que minha vagina é linda. Eu até perdi um pouco a sensibilidade na região, mas que foi compensada pelo aumento da minha autoestima."

Acompanhe o Sexoterapia

Nojos e vergonhas é o tema do décimo primeiro episódio do podcast Sexoterapia, um espaço criado por Universa para falar de sexo e relacionamento. Nesse episódio, as apresentadoras Marina Bessa, editora chefe de Universa, e Ana Canosa, sexóloga, recebem Carol Tilkian e André Lage, do blog Soltos.

Sexoterapia está disponível no UOL, no Youtube de Universa e nas plataformas de podcasts, como Spotify, Apple Podcasts, no Castbox e Google Podcasts.

Sexo