PUBLICIDADE

Topo

Mulher plus size é finalista de concurso de beleza: 'Quebrar estereótipos'

Kat Henry participa de concursos de beleza - Reprodução/Instagram
Kat Henry participa de concursos de beleza Imagem: Reprodução/Instagram

De Universa, em São Paulo

21/02/2020 09h06

Kat Henry adorava assistir Miss Universo e Miss Mundo quando era mais nova, desejando estar ali. Negra e com um corpo considerado fora de padrão para estes concursos, ela sentia que aquilo era algo inatingível. Aos 30 anos, Kat decidiu participar da British Beauty Curve, uma competição para mulheres plus size — e venceu.

Agora aos 36, Kat, de Surrey, na Inglaterra, é uma das 25 mulheres que competem na Grã-Bretanha na categoria para maiores de 27 anos, sem limite de idade, no 75º aniversário do concurso de Miss Britânica, um dos maiores do país.

"A participante típica da Miss Grã-Bretanha é alta, pernuda, magra e loira. Raramente você raramente vê mulheres de cor ou tamanho grande sendo coroadas nesses grandes concursos. Quero quebrar esses estereótipos. Eu acho que todo corpo exige representação dentro da mídia, dentro do mundo. Todos nós merecemos amor e respeito", disse ela ao jornal Metro.

Sendo uma mulher plus size competindo com mulheres que são mais magras, ela diz que enfrentou alguns comentários negativos: "Sempre haverá pessoas que acreditam que mulheres de tamanho grande não são necessariamente um tipo de corpo saudável", afirmou.

Kat disse que nunca deixou isso a incomodar, apesar dos haters nas redes sociais. "Me orgulho de ser o tipo de pessoa que diz: 'Olha, eu não estou pedindo que as pessoas sejam como eu, mas estou pedindo para as pessoas não julgarem."

Para ela, concursos de beleza vão além do nome — ela ressalta que há trabalhos filantrópicos e voluntariado. O Miss Grã-Bretanha está arrecadando dinheiro para uma instituição de caridade para crianças com distrofia muscular de Duchenne.

Kat diz que a competição mudou sua vida, porque agora se sente mais confiante e quer incentivar outras mulheres a fazer o mesmo: "Sofri de depressão na adolescência, pois tive minha filha aos 17 anos e tive um período muito difícil. Eu também tive ansiedade ao longo da minha vida. Ter essa saída para explorar minha criatividade me deixou muito mais confiante e realmente me ajudou a lidar com essas coisas."

Autoestima