PUBLICIDADE

Topo

Médicos queriam internar jovem com síndrome de Down, hoje ela é (um) modelo

Reprodução/Facebook
Imagem: Reprodução/Facebook

De Universa, em São Paulo

20/02/2020 14h47

Renee Garcia foi informada pelos médicos de que a filha, Kennedy, não teria qualidade alguma de vida e traria "complicações" quando adulta. A "única decisão" seria interná-la em uma clínica especializada em pessoas com síndrome de Down, ou coloca-la para adoção.

A mãe ignorou todas os conselhos, fossem médicos ou não, e resolveu não desistir da filha.

Quinze anos depois, Kennedy participou do baile de formatura com o namorado Matthew, competições de dança em todos os Estados e conquistou a carreira de modelo para grandes marcas nos Estados Unidos.

"A noite em que Kennedy nasceu, eu estava com muito medo em ter que aprender a lidar com ela, porque tudo que me diziam sobre a condição dela era negativo. Eu fui orientada por profissionais médicos que não faziam a menor ideia do que a minha criança poderia fazer", disse Renee ao jornal "Metro".

"Foi só na noite seguinte, quando uma parteira me disse o quanto Kennedy era bonita e se parecia com a sua filha, que também tinha síndrome de Down, que eu comecei a ver uma luz no fim do túnel", acrescentou.

A troca de experiências fez com que Renee enxergasse, de fato, como seria ter uma filha nessas condições. Como ela mesma conta, de forma surpresa, "não foi diferente de ter qualquer outra criança".

"Ela é como qualquer outra garota. Tem muitos amigos, adora dançar, cantar e brincar com o cabelo e maquiagens. Renee até mesmo quebra as regras às vezes", brincou.

A jovem passou por fortes experiências: a primeira delas foi enfrentar leucemia e, pouco tempo depois, fazer uma cirurgia para consertar uma ligação entre a espinha cervical e a base dos ossos - o que quase a deixou paraplégica.

Keneddy venceu todos esses obstáculos e hoje ajuda a mãe com palestras a fim de instruir outros pais e filhos que precisam vencer as mesmas guerras, sejam elas físicas ou psicológicas.

"Durante anos eu me levantei e conversei, mas agora é Kennedy quem conta sua história e fala sobre sua vida. Ela tem uma apresentação em power point que gosta de usar e sempre fala com tanta verdade, clareza e confiança", orgulha-se Renee.

Autoestima