PUBLICIDADE

Topo

Gracy Barbosa: "Por que o povo faz o Carnaval e o lucro é dos governantes?"

Gracyanne Barbosa no ensaio na quadra da União da Ilha do Governador - Maurício Pingo/AgNews
Gracyanne Barbosa no ensaio na quadra da União da Ilha do Governador Imagem: Maurício Pingo/AgNews

Nathália Geraldo

De Universa

13/02/2020 04h00

"Bumbum na nuca", "casamento blindado", "#teamOVO". A presença digital da rainha de bateria Gracyanne Barbosa é cheia de expressões virais — a respeito de sua forma física, seu relacionamento ou seus hábitos alimentares —, que extrapolam o alcance de seus 8,4 milhões de seguidores no Instagram.

É possível que, mesmo sem a seguir na rede social, você já tenha associado Gracy a uma restrita dieta alimentar. Não por acaso. Ela já revelou que come 25 claras por dia e, entrando na onda, fez um perfil de culinária no Instagram, o "Cozinha Saudável da Gra", em que publica receitas funcionais, fotos de suas marmitas e compartilha memes... com ovo.

No perfil principal, com frequência, Gracy gera conteúdos publicitários de suplementos de proteína e produtos para cabelo. Também divide um pouco de sua rotina de treinos na academia, a vida a dois com o cantor Belo — com quem é casada há sete anos —, Stories com os cachorros da família e com a netinha (do marido), Alice.

Neste ano, ela desfila pela União da Ilha, no Rio de Janeiro, além de ser musa de blocos e rainha de camarote no Rio. Para aguentar a programação, "intensifica o aeróbico".

Às vésperas da folia, Gracyanne falou para Universa sobre seu estilo de vida, atividades físicas, o que não gosta no Carnaval e o desejo de ser mãe "cada vez mais aflorado". "Entrego nas mãos de Deus, pois já tenho na cabeça o planejamento de fazer algumas alterações na carreira e de contratos. Quero ser uma mãe 100% presente."

Gracyanne Barbosa - Maurício Pingo/AgNews - Maurício Pingo/AgNews
"No Carnaval, é preciso uma atenção especial para encarar a Sapucaí", diz Gracy
Imagem: Maurício Pingo/AgNews

Muita gente tem curiosidade sobre sua rotina de treinos físicos. Você vai todos os dias para a academia?
Malho diariamente uma hora por dia, cuidando da minha saúde e, como consequência, do meu corpo. Só que tomo muita cautela quando falo sobre isso, pois eu faço treinos e tenho uma rotina que são adequados para mim. Aliás, eles são meu remédio diário para me sentir bem e equilibrada. Sempre aconselho as pessoas a se cuidarem buscando esportes e práticas em que se vejam felizes fazendo aquilo. No Carnaval, é preciso uma atenção especial para encarar a Sapucaí. E isso não é só comigo, mas com todos que desfilam numa escola de samba. É uma avenida grande, desfilamos cantando e dançando o tempo todo. Os ensaios na comunidade já nos preparam bem. Na verdade, o que faço é intensificar o aeróbico para cruzar bem aquela pista maravilhosa.

A alimentação que você segue também é motivo de brincadeiras, mas claramente é uma coisa bem regrada. Como você mantém isso?
Sabe questão de paladar? Então! Meu paladar e organismo já se adaptaram com essa alimentação, que nutre bem meu corpo, saúde e músculos. Não sinto falta de nada, pois está tudo completo ali e na dosagem certa. Então não é sofrido. Raramente meu olfato me trai e sinto vontade de algo diferente. Quando isso acontece, espero a vontade passar. Não porque não posso comer, mas por preferir alimentos saudáveis.

Algumas pessoas criticam seu posto de "musa fitness". Como você lida com comentários do tipo?
Não tenho problema com críticas. É natural do ser humano olhar e ter sua opinião sobre tudo, e muitas vezes com isso vem o julgamento. E está tudo certo, tudo ok. Faz parte as diferentes opiniões sobre o outro.

Faço tudo para mim. Elogios ou críticas acabam sendo uma consequência, que não afeta o meu instinto interno de buscar o que me faz feliz.

A dança faz parte da sua vida desde o Tchakabum, certo? O que você pratica atualmente e como isso impacta na sua autoestima?

Faço pole dance, axé e samba. A dança sempre esteve no meu sangue, é uma expressão de arte que aprecio muito e me faz bem. Ainda mais quando a dança e a minha felicidade são vistas por um público que sorri e aplaude. Isso se torna conexão de almas e é muito importante para mim. Vim pro Rio pra fazer faculdade de direito, na UFRJ, aos 16 anos. Passei por muitas dificuldades financeiras nesse período, aí surgiu a oportunidade de dançar no Tchaka. E, mesmo com as viagens a trabalho, consegui terminar a faculdade e me manter no Rio.

Gracyanne Barbosa - Maurício Pingo/AgNews - Maurício Pingo/AgNews
"A dança sempre esteve no meu sangue, é uma expressão de arte que aprecio muito e me faz bem"
Imagem: Maurício Pingo/AgNews

Somos constantemente alvos de machismo e/ou assédio. Você mesma já passou pela situação de um homem passar a mão no seu corpo em um evento. Como costuma reagir a isso?
Estou sempre na luta por igualdade e respeito por todos e para todos. Ninguém precisa desrespeitar o limite de ninguém para extravasar seu carinho. Quando sua admiração extrapola, a ponto de fazer mal a alguém, isso deve ser repensado. Independentemente de quem faz isso, pode ser até uma própria mulher. Já aconteceu comigo, e eu pontuei bem que não me sentia bem com aquela situação.

No Carnaval, o que a inspira e o que você não gosta?
Gosto de todos estarem ali para festejar, ser feliz, na mesma vibração e alegria. Amo a igualdade de todos se abraçarem sem olhar o outro. Somos todos iguais remando na mesma direção de mostrar a nossa cultura, da nossa escola e a força da nossa comunidade. Mostrar os talentos e os sorrisos. É ver um morador da comunidade poder sorrir diante de tantos problemas que ele tem em sua vida diária. O que menos gosto é o desrespeito e o desprestígio com o samba, seus talentos e empregos que são gerados pelo Carnaval. A desvalorização que tentam fazer da arte e também do social.

Carnaval tira pessoas do tráfico e dá espaço para sorrisos, a maior festa e espetáculo do mundo.

Gente do mundo todo vem pro Rio assistir e gera retorno financeiro para toda a cidade, diante do turismo. Nossa cidade é feliz e ainda movimenta milhões de reais. Um lucro que poderia ser investido ainda mais na festa — e ainda sobraria também muita verba para investir em saúde, educação e segurança para todos. Por que as comunidades fazem um espetáculo primoroso para a cidade e o lucro todo da festa fica no bolso dos governantes?

Você e Belo falam abertamente sobre o casamento, inclusive sobre sexo. O que você considera fundamental para ter um "casamento blindado"?
Amor, sexo, parceria, cumplicidade. Esses são os segredos para seguirmos em frente e enfrentarmos sorrisos e crises -- algo comum, que acontece em todas as relações, principalmente as longas. O desejo da maternidade é algo que tem aflorado em mim. Entrego nas mãos de Deus, pois já tenho na cabeça algumas alterações na carreira e de contrato porque quero ser uma mãe 100% presente.

Se preocupa com as mudanças no corpo que a gravidez pode trazer?
Sei que muita coisa pode mudar. Mas acredito que cada fase é mágica. O foco é o filho. O resto a gente pontua e corre atrás depois. Me olho no espelho e sou feliz com o que vejo, mas também busco cada vez mais olhar o meu interior. A aparência física vem em decorrência de cuidarmos a fundo de nós mesmos.

Você pouco fala de suas convicções políticas, mas há um clima de caos no Brasil. Como você tem analisado isso? Mudaria de país por causa da situação atual?
O Brasil passa por um momento bastante complicado, e vejo que isso está unindo mais o nosso povo. Continuaremos sempre na esperança de dias melhores. Sempre fomos muito batalhadores e merecemos morar num país mais justo e igualitário, com condições melhores de tudo, principalmente de saúde, educação e segurança. Ano retrasado, recebi uma proposta ótima para fazer um trabalho na Europa. Mas optei por ficar, porque tinha ótimos contratos no Brasil e queria estar perto da minha família e cachorros. Nesse ano, provavelmente passarei bastante tempo fora, mas por uma questão de trabalho também

Você também está atuando em um programa do Multishow, certo? Como surgiu esse convite?
Estou! E estou muito feliz. Ganhei duas famílias maravilhosas. Uma é todo o canal, que me recebeu muito bem. E outra é o humorístico "Tô de Graça". Já estamos gravando a quarta temporada juntos. Foi um dos maiores presentes que o Rodrigo Sant'Anna me deu no ano passado. Minha estreia foi na segunda temporada como convidada, e na terceira já passei a fazer parte do elenco.

10 Perguntas