PUBLICIDADE

Topo

Policial gay fecha acordo de R$ 44 mi após ouvir que deveria ser 'discreto'

St. Louis County Police Department
Imagem: St. Louis County Police Department

De Universa, em São Paulo

11/02/2020 19h18Atualizada em 12/02/2020 19h01

Depois de vencer uma ação de indenização em US$ 19 milhões (cerca de R$ 82 milhões, na cotação de hoje), o sargento Keith Wildhaber fechou um acordo de US$ 10 milhões, cerca de R$ 44 milhões, com o Condado de St. Luis após ser preterido para promoção 23 vezes e ser instruído a "ser mais discreto".

O acordo foi finalizado ontem, horas depois que o chefe da polícia do condado de St. Louis, John Belmar, anunciou sua aposentadoria, de acordo com o St. Louis Post-Dispatch.

Embora os jurados tenham concedido a Keith quase US$ 20 milhões em outubro, como informado no início da matéria, ambos os lados tinham motivos para negociar, uma vez que o policial poderia manter uma parcela maior e mais fácil se concordasse.

John Belmar promoveu Keith em dezembro, colocando-o no comando de uma novidade unidade que tem como intuito promover diversidade e inclusão.

"Este processo reconhece o que o tenente Wildhaber sobreviveu no departamento de polícia e nos permite avançar como município", disse o executivo do condado Sam Page ontem. "Acho importante reconhecer que isso envia uma mensagem a todos no governo do condado e a todos os nossos empregadores na região de St. Louis, de que a discriminação não será tolerada".

O condado poderia ter evitado o veredicto aceitando a oferta de Keith feito no dia 5 de abril de 2019, em que pediu US$ 850 mil (R$ 3,6 milhões), além de uma promoção para tenente.

Em vez disso, os advogados do condado foram a julgamento sob a posição legal de que a Lei de Direitos Humanos não proíbe a discriminação contra gays.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que informou o primeiro parágrafo, US$ 19 milhões são cerca de R$ 82 milhões, na cotação de 12 de fevereiro, e não R$ 60 milhões. A informação foi corrigida.

Diversidade