PUBLICIDADE

Topo

Relacionamentos

Homens têm procurado mais sites de traição depois dos 50. Por quê?

Depois dos 50, o homem tem se interessado mais por trair - iStock
Depois dos 50, o homem tem se interessado mais por trair Imagem: iStock

Silvia Regina

Colaboração para Universa

31/01/2020 04h00

É de se esperar que a maturidade acomode os desejos e os casamentos se tornem mais seguros depois dos 50 anos de idade. Certo? Pois não é isso que o levantamento da plataforma Second Love, especialista em relacionamentos extraconjugais, mostrou. De acordo com o site, o número de homens nessa faixa etária interessados em ser infiéis cresceu 20% de 2018 para 2019. E isso não foi constatado apenas no Brasil. É uma tendência na América Latina e na Europa.

"Essa idade é um marco muito forte. É um momento que a pessoa se dá conta de que o relógio biológico andou e passa a querer recuperar o que não fez nos anos passados", explica a psicóloga Dorli Kamkhagi, coordenadora do grupo de Maturidade do Instituto de Psiquiatria da Universidade de São Paulo (USP). Daí passarem a se envolverem em atividades que antes não manifestavam vontade, como fazer parte de um grupo de motoqueiros, colecionar selos ou até ter uma relação extraconjugal.

Maior expectativa de vida

O que acontece é que a pessoa de 50 anos de hoje não é a mesma daquela de 30 anos atrás. Antigamente, nessa faixa etária, um trabalhador estaria pensando na sua aposentadoria e na maneira de curtir com tranquilidade sua vida. Atualmente, um homem ou mulher de meia década ainda é muito ativo e os planos de dias tranquilos passam longe. Para ter uma ideia, de acordo com o Instituto Brasileiro de Pesquisas e Estatísticas (IBGE), em 1970, esperava-se que o brasileiro vivesse até os 54 anos. Agora, a expectativa é de 73 anos. Ou seja, ainda tem tempo para viver e deseja fazer isso da melhor maneira possível.

Além disso, a paquera hoje é mais aberta, não existe a vergonha de mostrar interesse por alguém. E, ao se deparar com isso, o homem não pensa duas vezes e quer experimentar aquela novidade que está à sua frente.

Já o psicoterapeuta sexual Oswaldo Rodrigues Júnior, do Instituto Paulista de Sexualidade (Inpasex), vê nessa situação um aprendizado social. "Esse homem aprendeu a vida toda que ele pode trair. As outras pessoas precisam seguir as regras, mas ele não. Ele se sente o poderoso", diz.

Potência sexual

A pressa em aproveitar as oportunidades envolve questões hormonais. "Ele se olha no espelho e enxerga uma pessoa que ainda está bem fisicamente, mas sabe que os hormônios estão em desequilíbrio, que a potência sexual tende a diminuir, e passa a se questionar mais", explica Dorli. Junta-se a isso um casamento de muitos anos que anda morno, os filhos criados e uma situação profissional estável e a receita para achar que está na hora de matar aquele desejo antigo está pronta.

Essa infidelidade também pode estar ligada à autoestima masculina. "De repente, ele percebe alguém que olha para ele, que o deseja. E acaba embarcando nessa", diz Dorli. Diferente dos mais jovens, esses homens maduros não têm medo de se arriscar, já que a relação extraconjugal para eles não envolve romance ou paixão. O que procuram, na verdade, é viver sua sexualidade e se sentir desejado.

Jovem por mais tempo

Aliás, aproveitar a libido enquanto ela ainda existe é uma das principais justificativas, conforme explica o psicoterapeuta sexual Oswaldo Rodrigues Júnior. "No fundo, ele vai fazer porque quer e pronto. As justificativas são apenas uma maneira de se defender e dar uma satisfação por estar quebrando uma regra moral", diz Rodrigues. Mas ainda existem outras desculpas que levam à traição, conforme apontou o levantamento da Second Life. São elas:

- Sentir-se jovem por mais tempo
- Inovar o sexo para combater o tédio
- Ter alguém que lhe dê mais atenção
- Passar por uma aventura depois de tantos anos dedicados ao trabalho e família

E o casamento?

Embora tenha esse desejo de trair, muitos nem pensam em terminar o casamento. Por um lado, eles gostam da segurança e conforto de ter alguém em casa. Por outro lado, têm preguiça. Isso mesmo, preguiça de terminar uma relação (e passar por todo o desgaste que isso envolve) e recomeçar um novo relacionamento.

Mas quem entra nessa precisa se preparar para os julgamentos. Se a traição é vista com maus olhos aos 40 anos, imagina depois dos 50? "Chama mais a atenção porque todos acham que os mais jovens fazem isso porque são imaturos, não sabem o que querem da vida. Mas o de 50 não pode. Mas esse homem trabalhou nos últimos 30 anos, estava muito ocupado para procurar outro relacionamento. E chegou a vez dele se redescobrir", conclui o psicoterapeuta do Inpasex.

Relacionamentos