PUBLICIDADE

Topo

Alto Astral


Estudar astrologia vale a pena? Quanto custa, mercado de trabalho e mais

natasaadzic/Getty Images/iStockphoto
Imagem: natasaadzic/Getty Images/iStockphoto

Claudia Dias

Colaboração para Universa

27/01/2020 04h00

Se você olha para a astrologia apenas como uma ferramenta de autoconhecimento, que pode ajudar a dar um norte à sua vida, saiba que tem muita gente encarando a área como profissão. Ser um astrólogo não está apenas em alta, visto o interesse crescente pelo assunto: é, também, boa alternativa como fonte de renda.

"Não é necessário ter qualquer formação prévia, mas quanto maior for a sua bagagem de conhecimentos, mais fará diferença", diz Alexandre Fücher, diretor da Regulus, uma das mais tradicionais escolas paulistanas sobre o tema.

Profissão Astrólogo: estudo e mercado de trabalho

Atualmente, a profissão de astrólogo é catalogada pelo Ministério do Trabalho como ocupação (COB 5167-05 - Astrólogo - Cosmoanalista). São estipuladas de 200 a 400 horas de estudos como carga mínima para se atuar na área.

Muita gente procura cursos profissionalizantes para a área logo após concluir o Ensino Médio. Este é, aliás, o requisito mínimo exigido pela maioria das escolas.

Alexandre diz que como a atuação do astrólogo pode refletir em várias profissões, é recomendado que o profissional também tenha instrução na área em que vá atuar. Podem ser astrologia médica, astropsicologia, astrologia de negócios, entre outras.

Curso de astrologia: o que se estuda

Em um curso básico de astrologia, o aluno estuda desde a história da astrologia, noções de astronomia e mecânica celeste até aspectos psicológicos do ser humano e trânsitos astrológicos. Com isso, ele pode interpretar mapas astrais e fazer previsões, mostrando as tendências, astrológicas.

Por meio de cursos livres que formam a grade curricular, cada escola define seu currículo, geralmente dividido em conteúdo básico, mais especializações. Não é obrigatório o vínculo das instituições a órgãos específicos, apesar de existirem associações e sindicatos atuando na área.

Fluxo de aulas

Além da grade curricular própria, cada escola conta com cronograma de distribuição das aulas. Na Regulus, os módulos principais (ou seja, o básico para formação) incluem aulas semanais.

Conforme o aluno se aprofunda nos estudos, poderá frequentar mais de uma matéria por semana.

Lá, as matérias básicas focam nos fundamentos da astrologia (história, cálculos, astronomia, significados de signos, casas, planetas, aspectos etc), interpretação do mapa natal, métodos de previsão e suas aplicações e sinastria (comparação de dois mapas).

Para quem quer dar continuidade aos estudos, há os módulos de prática (interpretação, trânsito e revolução solar, entre outros, somando 50 horas/aula), módulos de especialização (astrologia vocacional, cármica, cabalística, astrocartografia, cinema, por exemplo, com cargas variáveis) e módulos complementares, com técnicas e abordagens mais específicas, como: estrelas fixas e sistemas de casas.

Na Gaia Escola de Astrologia, estabelecimento de ensino tradicional em São Paulo, o curso é realizado durante seis semestres, em três blocos independentes. O "fundamental" é a base de todo o ensino, com 300 horas de aula. Ele é o requisito mínimo para quem quer atuar na área como astrólogo.

O intermediário contempla 325 horas, enquanto as especializações têm carga de 175 horas, totalizando 800 horas para o curso completo de formação de um astrólogo. "Há pessoas que fazem cursos de fim de semana e se dizem astrólogas, mas não entendem que é necessário um estudo mais amplo, mais complexo e mais longo", comenta o diretor da Gaia Robson Papaleo.

No módulo fundamental da Gaia, estudam-se a visão filosófica da astrologia, alfabeto, arquétipos, técnicas de cálculos, código de ética, previsões, progressões, técnicas de interpretação e o desenvolvimento da personalidade, entre outros tópicos.

No intermediário, alguns dos temas estudados são mitologia, história, astronomia eletiva e vocacional e administração e marketing. Já na especialização, pode-se optar por áreas de interesse, como astrologia e saúde, empresarial, recursos humanos ou psicanálise. "Neste caso, cada aluno escolhe o curso de acordo com seu interesse de profissionalização", diz Robson.

Como em qualquer outra atividade profissional, todos os anos há eventos, congressos e encontros Brasil e mundo afora, para quem deseja se atualizar constantemente.

Quanto custa estudar astrologia

Estudar para ser astrólogo significa investir entre R$ 300 a R$ 350 reais por mês. Só na Gaia, no momento, há cerca de 400 matriculados, distribuídos em todos os blocos de formação. Segundo a escola, são alunos de 18 a 60 anos.

"Grande parte dos alunos termina o Ensino Médio e ingressa no curso, para se profissionalizar na área", afirma o diretor. Ainda neste ano, a escola pretende oferecer cursos de educação à distância.

Alexandre, da Regulus, observa que também há muitos estudantes na escola que são profissionais de outras áreas, mas querem utilizar a astrologia como ferramenta de apoio no dia a dia profissional. "Há também quem estude somente para autoconhecimento, sem interesse em exercer a profissão", comenta.

A partir do momento em que está hábil para atuar no mercado, o astrólogo pode aumentar os rendimentos ao fazer cursos de aperfeiçoamento. Hoje, em média, profissional recém-formado pode cobrar por volta de R$ 300 por consulta. Com o tempo, o valor pode chegar a R$ 1 mil.

Escolas de astrologia:

Alto Astral