PUBLICIDADE

Topo

Mães e filhos

"Depilação Kids" para tirar pelos de crianças vira discussão; quando pode?

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Marcos Candido

De Universa

27/01/2020 04h00

Clínicas e profissionais estão provocando debate nas redes sociais com o oferecimento de serviços de depilação para crianças. Apesar de ser comum tirar pelos desde cedo no Brasil, mães criticaram a chamada #DepilaçãoKids por sugerir uma rotina de beleza e consumo para um público inferior a 10 anos.

Em um vídeo divulgado por uma clínica de estética em Sergipe, uma criança com cerca de 10 anos tem a axila depilada com cera. Numa outra publicação, uma clínica de estética de Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro, oferece pacotes de depilação de sobrancelhas e buços. As imagens são acompanhadas por hashtags como #DepilaçaoInfantil ou #DepilacaoKids.

Por outro lado, profissionais e pediatras dizem que, antes de criticar a ação de quem faz, é preciso analisar caso a caso.

Fla x Flu da depilação infantil

No Twitter, onde o debate foi acalorado, algumas mulheres concordaram com a demanda de depilação em crianças. "Tinha excesso de pelos na infância e comecei a fazer [depilação] aos oito anos para evitar o bullying na escola", disse uma usuária da rede social.

Mãe de uma adolescente de 16 anos, a criadora de conteúdo sobre maternidade Thatiana Nunes tentou evitar que a filha fosse submetida tão cedo à cera, lâmina ou ao laser. Mas não foi fácil. "Um belo dia, estávamos no supermercado e minha filha tomou a iniciativa de comprar uma gilete", lembra. Ela tinha 11. "Da primeira vez, consegui barrar. Na segunda, também. Mas percebi que era um assunto entre amigas. Ela ficava excluída, e era um embate que não dava para levar a ferro e fogo", relembra. Para ela, a solução foi liberar aos poucos.

Para Thatiana, que encabeçou o debate na internet sobre a espera para retirar os pelos, defende que a venda de pacotes com depilação infantil tira a autoridade dos pais e impõe um "ideal" de beleza feminino.

"Como mãe, pude argumentar com a minha filha que não era adequado. Se ela visse no Instagram, ela me diria que está nas redes e é permitido. Isso tira a autoridade de uma mãe que se preocupa em acompanhar de perto o amadurecimento da própria filha", explica.

Por outro lado, Vitória Freitas, esteticista de Sergipe, afirma que são os pais que pedem pela depilação. Segundo ela, eles afirmam que pediatras liberaram o procedimento e conta que já realizou em crianças. "[Nesses casos], a cera é 'gourmet', para peles mais sensíveis, e o ponto de fusão [temperatura] é mais abaixo que o normal", diz.

O que diz a pediatria

A pediatra Lilian Cristina Moreira, membro da Sociedade Brasileira de Pediatria, afirma que é preciso fazer uma análise médica e psicológica para avaliar se é o caso de se retirar os pelos antes da adolescência.

"A depilação em crianças se justifica apenas em situações na qual os pelos crescem em grande quantidade, gerando baixa auto-estima e problemas psicológicos, e não só por desejo da criança ou dos pais", diz. Segundo ela, é preciso ter cuidado para utilizar lâminas, ceras ou lasers que prejudiquem a pele -que é mais frágil e está em transformação.

A especialista acrescenta que há risco de apressar a criança a entrar no mundo adulto do consumo e também acreditar que os pelos são sujos ou anti-higiênicos. "A dica é usar bom senso em cada caso."

Mães e filhos