PUBLICIDADE

Topo

"Vale night" após traição, como na novela, dá certo? Psicóloga comenta

Matias, Milhem Cortaz, e Miranda, Debora Lamm, discutem sobre vale night - Reprodução/TV Globo
Matias, Milhem Cortaz, e Miranda, Debora Lamm, discutem sobre vale night Imagem: Reprodução/TV Globo

Nathália Geraldo

De Universa

25/01/2020 04h00

Os personagens Miranda (Debora Lamm) e Matias (Milhem Cortaz) na novela "Amor de Mãe", da TV Globo, viveram há alguns capítulos uma situação curiosa: depois de a dona de casa ter descoberto que o marido a traiu com outra mulher, oito anos antes, ela resolveu pedir um "vale night"—no folhetim, o termo correspondia a uma noite para que ela se relacionasse com outro homem fora do casamento, sem cobranças.

A liberação por uma noite tem sido cada vez mais comum entre casais que têm filhos; para um deles se divertir ou sair de casa, o parceiro fica cuidando das crianças. Avós, amigos também viram rede de apoio quando o casal quer um "vale night a dois". E isso não quer dizer que haverá traição.

Fato é que há quem tenha passado justamente pela situação que a novela global está retratando: pedir (ou oferecer) um vale night depois que uma das partes descumpriu o combinado e teve um caso fora do relacionamento.

Foi o que aconteceu com o fotógrafo Thiago Botinhão, em um namoro entre idas e vindas. A então parceira, conta Thiago, o traiu — e, seguindo a lógica "chumbo trocado não dói", ele pediu para que ela o liberasse para um encontro com outra mulher.

"Eu disse que se a gente fosse continuar o namoro, eu queria um vale night. Minha vida já era um inferno de ciúmes, por isso, ela me negou até o fim. Então, eu decidi que eu ia fazer e contar para ela depois. Pensei: se você fez e eu sou obrigado a te perdoar, beleza. Mas e se fosse o contrário, você me perdoaria também?", relembra.

O fotógrafo conta que, na época, ambos estavam sabotando a relação, que terminou definitivamente dois anos depois.

Ele conta que, no relacionamento seguinte, ele e a parceira estabeleceram que, no início, viveriam experiências sexuais com outras pessoas. Quando o namoro "ficou sério", no entanto, Thiago a traiu. E ele mesmo sugeriu que ela saísse com outra pessoa - "mas ela não se sentiu à vontade para transar com outros homens".

Mulher recebe vale night, mas não aceita: por quê?

É neste ponto que o relato do fotógrafo se mistura com a ficção de "Amor de Mãe". Isso porque, na novela, Miranda também tenta se envolver com o homem com o qual se encontra, mas não consegue. A conversa dela com Matias, antes de sair de casa, é cercada de machismo.

"Se você passar por essa porta, nosso casamento acabou", ele declara. "Se eu não passar por essa porta, aí que ele acabou, porque eu não vou aceitar a ideia de você ter tido um vale night e eu não", rebateu a dona de casa.

No retorno do suposto "vale night", ele também reclama pelo fato ela ter saído com outra pessoa em uma espécie de revanche. Por fim, Miranda, em outra cena, revela que sequer conseguiu beijar o pretendente. "Eu não entendo como você pode fazer isso comigo, e agora, se eu não for embora eu viro um corno", disse Matias, em uma cena em que lamenta a suposta traição de Miranda.

"Olho por olho, dente por dente": impacto na relação

A psicóloga Graciele Paoletto, da linha cognitiva comportamental, explica que a vingança de uma traição, nesses moldes, pode não ser tão positiva quanto se imagina. Afinal, perdoar ou não uma traição é sempre um assunto polêmico.

"Na novela, por exemplo, ela pode ter agido na hora da raiva, só para tentar 'passar um recibo' para ele; no entanto, ela não tinha esse desejo, tanto que não conseguiu ter nada com o outro homem", explica. "Acontece que a situação forçada pode fazer mal à relação e o vale night pode se tornar uma coisa do momento, apenas para preencher uma lacuna de forma vingativa", analisa.

Em relações em que o encontro com outras pessoas faz parte da relação, como em relacionamentos abertos, não há esse conflito. "Se é combinado, cada um faz o que quiser". Vale dizer que, sim, há traição em relacionamento aberto: é quando esses limites e acordos são ultrapassados.

Graciele conta que, em uma estratégia de revanche, já atendeu clinicamente mulheres que acabam compensando a traição de seus parceiros com outras atitudes, por exemplo, usando o dinheiro dele para fazer compras de roupas. "Eu sempre pergunto: vale a pena? Vai encobrir o que ele fez?".

A dica da psicóloga para lidar com o momento pós-traição é que o casal avalie junto se quer manter o relacionamento e pondere quais são os elementos que estão faltando dentro da vivência a dois. "Se necessário, procurar um terapeuta. É sempre bom ter uma terceira pessoa ajudando a ver as coisas de outra perspectiva".

Relacionamentos