PUBLICIDADE

Topo

Carolina Ferraz posta nova foto nua e critica supervalorização da juventude

Carolina Ferraz clicada por Bob Wolfenson - Reprodução/ Instagram
Carolina Ferraz clicada por Bob Wolfenson Imagem: Reprodução/ Instagram

Colaboração para o Universa

24/01/2020 18h55

Carolina Ferraz publicou hoje à tarde, no Instagram, uma nova foto do ensaio nu que fez em comemoração à chegada de seus 52 anos de idade. A artista, que faz aniversário amanhã, postou como legenda da imagem um texto em que critica a "sociedade machista" e a "supervalorização da juventude".

"Vivemos em uma sociedade machista que supervaloriza a juventude, onde mulheres como eu, as famosas 50 ou mais, são forçadas a caminhar na sombra, independente da aparência. Nós maduras, somos de todas as formas, altas, redondas, retas, magras, gordas e somos lindas mesmo assim!".

A atriz defendeu que "não existe validade para ser expressivo". Ela disse acreditar ainda que o Brasil segue na contramão do mundo em relação à valorização da maturidade feminina, uma vez que grandes marcas internacionais já trabalham com modelos mais velhas.

"Me expor nesse ensaio, do qual tenho muito orgulho, não foi fácil. Foi pensado, foi sofrido, pois carrego comigo uma questão comum a todas as mulheres: a insegurança. E foi também libertador, pois quando olho ao redor vejo muitas mulheres maduras, inteiras e lindas com muita coisa a contribuir, cheias de gás para produzir, eu me encontro em todas elas".

Carolina Ferraz tem postado desde segunda (20) fotos do ensaio fotográfico nu, clicado pelo renomado fotógrafo Bob Wolfenson.

A última da série, amanhã se inicia um novo ciclo. . . . Vivemos em uma sociedade machista que super valoriza a juventude, onde mulheres como eu, as famosas 50+, são forçadas a caminhar na sombra, independente da aparência. Nós maduras, somos de todas as formas, altas, redondas, retas, magras, gordas e somos lindas mesmo assim! Temos história vivida e transportada em nossa pele, nossas curvas. Não existe data de validade para ser expressivo e tudo bem, nós seguimos em frente. Estamos num país que caminha contra a tendência mundial de se valorizar a maturidade feminina, vejam todas as grandes marcas mundiais atualmente escolhem mulheres maduras para serem seus rostos, "Jimmy Choo - Nicole Kidman", "Lancôme - Julia Roberts", "Versacci - Jennifer Lopes", "Bulgari - Julianne Moore", isso pra citar apenas alguns exemplos de grandes marcas que escolhem mulheres maduras para representarem suas marcas, por aqui essa realidade parece ainda bem distante. Afinal, todos envelhecemos isso é fato, mas não perdemos nossa beleza nem dignidade ao contrário, adquirimos força e apesar das rugas seguimos inteiras e fortes. Representamos uma fatia enorme do mercado de trabalho e de consumo aqui no Brasil que não é representada por ninguém em lugar algum, de repente somos colocadas à margem das coisas como se houvesse algo errado em termos mais de 20 anos. E vejam, me sinto bem e confortável com minha aparência, tenho consciência dos meus privilégios, mas quero ir muito além disso. Ter 52 anos, não usar preenchimentos, não usar botox, e que fique bem claro, "não tenho nada contra esses procedimentos e quero ter a liberdade de poder usa-los se achar necessário". Me expor nesse ensaio, do qual tenho muito orgulho não foi fácil. Foi pensado, foi sofrido, pois carrego comigo uma questão comum a todas as mulheres: a insegurança. E foi também libertador, pois quando olho ao redor vejo muitas mulheres maduras, inteiras e lindas com muita coisa a contribuir, cheias de gás para produzir, eu me encontro em todas elas. Não tenho 20 anos e repito, estou no auge da minha força física e mental, com muito ainda a contribuir, alguém dúvida? . @bobwolfenson

Uma publicação compartilhada por Carolina Ferraz (@carolinaferrazoficial) em

Autoestima