PUBLICIDADE

Topo

Dora Figueiredo: "hoje, 20 kg mais gorda, aprendi a gostar de mim"

Dora Figueiredo - Reprodução / Instagram
Dora Figueiredo Imagem: Reprodução / Instagram

Do Universa, em São Paulo

20/01/2020 10h53

A influenciadora e youtuber Dora Figueiredo disse, em um relato publicado no site da revista Marie Claire, que depois de anos preocupada com o controle alimentar encontrou a felicidade pesando 20 quilos a mais do que chegou a pesar há poucos anos.

"Tive anorexia, bulimia e, hoje, 20 kg mais gorda, aprendi a gostar de mim", diz Dora na abertura do texto, revelando que neste processo também teve de lidar com distúrbios alimentares.

"Aos 15, já fazia as dietas mais loucas. Comecei a tomar anticoncepcional, engordava um pouco e fazia a dieta da sopa. Com a moda do detox, passava quatro dias só tomando suco e não conseguia sair da cama, de tão fraca que ficava", disse, explicando a meta que estipulava.

"Na minha cabeça, não podia passar dos 60 kg. Parecia uma meta de vida, a coisa mais importante. Chegava aos 58 quilos e pensava: 'Tenho que emagrecer'. E aí fazia mais e mais dietas absurdas. Nesse momento, passei a procurar por blogs sobre anorexia e bulimia. Queria saber o que aquelas mulheres tão magras faziam para se manter daquele jeito", completou.

Hoje com 73 quilos, ela ainda disse que só conseguiu lidar melhor com questões alimentares e o seu peso depois de terminar um relacionamento abusivo.
'Vivi um relacionamento abusivo e minha condição piorou muito. Porque meu ex falava o tempo todo que eu estava engordando. Depois que a relação terminou, me dei conta: ou me matava ou começava a olhar para mim de uma maneira mais carinhosa. Estava no fundo do poço. Foi ele que terminou comigo, num dos piores momentos da minha. Mas foi depois disso que consegui me curar e perceber o quanto a minha felicidade dependia da percepção de um homem. Então, priorizei minha saúde mental e me afastei das pessoas tóxicas com quem convivia", disse.

"Hoje, me olho no espelho com carinho. Mas foi uma batalha dura para chegar a esse momento. De tratamentos psicológico, psiquiátrico, de tomar cuidado as minhas escolhas, de pensar em mim com prioridade. Parei de ir a lugares que me faziam mal, de seguir pessoas que me faziam mal, de conversar com gente que me falava sobre dieta. Me afastei da maioria das pessoas que eu conhecia, simplesmente porque precisava fazer isso. Consegui fazer em um ano o que não consegui a vida inteira: me curar do transtorno alimentar. Mas só consegui porque estava solteira", completou.

Agora, Dora Figueiredo conta que trata a questão do peso com naturalidade. "Agora, peso 73 quilos e me sinto feliz. Muito feliz. Consegui diminuir a compulsão alimentar e acabei com o efeito sanfona. Mais para a frente talvez emagreça ou engorde, mas isso não é mais um caos na minha vida. Nem balança tenho mais em casa, me peso de vez em nunca. Olho para o meu corpo e acho lindo, maravilhoso. Tem as coisas que não gosto e nunca vou gostar? Tem. Coisas que vão mudar e coisas que vão ficar como está. E tudo bem."

Autoestima