PUBLICIDADE

Topo

Damares defende que agressores passem por tratamentos e grupos reflexivos

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos do governo Bolsonaro, Damares Alves - Kleyton Amorim/UOL
A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos do governo Bolsonaro, Damares Alves Imagem: Kleyton Amorim/UOL

De Universa

20/01/2020 18h08

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos do governo Bolsonaro, Damares Alves, concedeu entrevista à jornalista Rachel Sheherazade, do SBT, e defendeu tratamento contra alcoolismo e "grupos reflexivos" para os agressores como mecanismos de combate à violência contra a mulher.

"Ao invés de o homem pagar uma cesta básica, ele vai ter que participar de um grupo reflexivo. A reincidência [entre os agressores que participam dessas iniciativas] é de 2% apenas, esses grupos existem e funcionam", disse, sem citar a fonte do dado. "Muitos desses homens vieram de um lar agressivo, foram vítimas de espancamento, abuso".

Damares disse ainda que as denúncias de violência doméstica e feminicídio estão aumentando graças à divulgação de sua pasta, mas que isso "não diminui em nada a triste realidade de que a violência aumentou muito".

"Nessa luta vamos ter que esquecer todas as nossas diferenças ideológicas e partidárias. Ou a gente faz isso ou a gente faz isso. Não tem opção B", cravou.

Violência contra a mulher