PUBLICIDADE

Topo

Relacionamentos

Como esquecer alguém: 6 dicas que funcionam para seguir em frente

No filme "Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças" (2004) os personagens de Kate Winslet e Jim Carrey tentam se esquecer - Divulgação
No filme "Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças" (2004) os personagens de Kate Winslet e Jim Carrey tentam se esquecer Imagem: Divulgação

Ana Bardella

De Universa

18/01/2020 04h00

Não importa se foi um envolvimento problemático, saudável ou uma paixão platônica que agora precisa ser superada: seguir em frente quando ainda existe sentimento por outra pessoa é desafiador. "Se houve envolvimento, após a separação as memórias dos momentos felizes vividos ao lado da pessoa vêm à tona quando menos se espera. Um cheiro, uma música ou passar em frente a um lugar é o suficiente para despertar este tipo de lembrança e, consequentemente, a tristeza por não poder mais estar ao lado do parceiro", afirma a especialista em neuropsicologia Bia Sant'Anna.

Mesmo quando o sentimento não foi recíproco, superar a paixão também é um processo doloroso. "A tendência humana é fantasiar. Na ausência de um romance, podemos ocupar o espaço mental com aquilo que gostaríamos de viver ao lado da pessoa desejada. Inicialmente, isso desperta a sensação de prazer. No entanto, ao perceber que as esperanças não têm futuro, parar com este hábito se torna um problema", explica a profissional. Em ambos os casos, quem não consegue tirar alguém da cabeça pode se sentir para baixo e perder o ânimo de viver coisas novas.

Veja a seguir como dar um basta na situação e finalmente superá-la:

1. Corte o mal pela raiz

A indicação da especialista é ocultar as postagens ou bloquear a pessoa das redes sociais. "Ficar consumindo conteúdo de alguém depois do término é como tirar constantemente a casquinha de uma ferida: a cicatrização fica quase impossível", opina. O psicólogo Roberto Debski complementa: "O corte do contato não precisa ser uma ação permanente. Com o tempo, conforme as emoções se acalmam, é possível retomar o convívio amigável entre as partes. Mas o ideal é dar tempo ao tempo".

2. Foque no seu bem-estar

Se você pensa tanto em alguém, é sinal de que a companhia real ou imaginária dessa pessoa era, do seu ponto de vista, uma enorme fonte de prazer. "Mas é importante lembrar que ela não é a única. O que antes de conhecê-la lhe proporcionava mais felicidade? Faça uma lista de atividades e aposte nelas para resgatar as emoções positivas", aponta Bia.

3. Deixe o calendário de lado

Evite pensar: "Faz tantos meses que não estamos mais juntos e ainda gosto dele ou dela". Pense que está fazendo o seu melhor e buscando a cura. "O tempo é altamente subjetivo. Varia de acordo com o que aquela paixão representou para a trajetória da pessoa e com a estrutura emocional de cada um", diz a psicóloga.

A profissional também recomenda não se comparar com os demais. "É comum pensarmos que o tempo de recuperação dos outros é mais rápido do que o nosso, porém, é um grande erro. Dores são individuais e não podem ser medidas em intensidade, nem em tempo".

4. Não projete o alívio em um novo amor

Já ouviu dizer que, para superar de verdade alguém, só se envolvendo com uma nova pessoa? A frase tem um fundo de verdade. "O prazer de um romance novo funciona como um gás para esquecer um amor antigo", explica Bia. No entanto, depender de um novo envolvimento para recuperar o bem-estar emocional é perigoso.

"O melhor é não sair de uma relação já entrando em outra, mas sim aprender as lições que aquela experiência lhe trouxe e apreciar a própria companhia, para, em seguida, voltar a se relacionar intimamente com alguém", opina Roberto.

5. Deixe a natureza agir

Se alguém lhe disser: "Não pense em um elefante branco", qual será a primeira imagem que virá a sua cabeça? A lógica é a mesma ao superar uma paixão. "O correto é ampliar as fontes de prazer e estar aberta ao novo. Jamais deixar a ideia de seguir em frente se tornar uma obsessão, pois dessa forma, os planos não irão funcionar", acrescenta a psicóloga.

6. Honre sua própria história

Ainda que a relação não tenha sido das melhores, ela fez parte da sua vida e contribuiu para a formação da pessoa que você é. "Logo, a ideia de esquecer completamente alguém é inalcançável e pouco saudável. Por mais dolorosa que tenha sido a experiência, ela merece ser respeitada", aconselha Bia. Roberto concorda: "Quando nos esquecemos de um problema, podemos repeti-lo no futuro. O melhor é entender sua origem e aprender com ele, para que o próximo relacionamento seja mais saudável".

Relacionamentos