PUBLICIDADE

Topo

Ana Cañas relembra foto nua: 'Minha bunda não vai derrubar o patriarcado'

Ana Cañas está prontíssima para o Rock in Rio - Reprodução/Instagram
Ana Cañas está prontíssima para o Rock in Rio Imagem: Reprodução/Instagram

De Universa, em São Paulo

16/01/2020 08h15

Ana Cañas postou uma reflexão sobre uma foto nua que postou em 2018. "Foda-se o patriarcado e o controle dos corpos. Nudez, aborto, roupas, tamanhos, padrões. A gente é quem decide. A gente é. Patriarcado, caia e morra. Bem agora. Beijo", escreveu ela na ocasião.

A cantora relembrou que recebeu xingamentos e elogios pelo ato, e que aprendeu muito desde então. "De lá pra cá, aprendi muita coisa. A começar pelo entendimento de que nudez não é empoderamento. O movimento feminista define o empoderamento real como a mudança nas estruturas de decisão e poder", analisou num texto no Instagram em que postou uma ilustração da foto.

"E se todas nós tirássemos as roupas, os homens ainda continuariam em suas posições de privilégios. Fato. Minha bunda não vai derrubar o patriarcado. Não mesmo. E aliar a imagem com a legenda foi realmente um erro", admitiu.

Ana, no entanto, ponderou que, na ocasião em que postou a imagem, ficava feliz com o fato de as mulheres postarem fotos de seus corpos, num movimento de autoaceitação e despadronização.

"Outro erro meu, pois sou uma mina branca e com um corpo padrão (aí entram a intersecção e a nudez política dos corpos preteridos). De lá pra cá, também aprendi um bocado sobre o body positive, a gordofobia, a pressão estética, o antirracismo e outras coisas. Precisei expôr (sic) minha ignorância para aprender e evoluir. Ninguém sabe tudo e a desconstrução é diária", acrescentou.

um ano e meio atrás fiz um post com uma foto da minha bunda exposta e escrevi na legenda "foda-se o patriarcado". foi uma loucura. um monte de gente me escreveu. agressões e xingamentos. elogios e apoio. de lá pra cá, aprendi muita coisa. a começar pelo entendimento de que nudez não é empoderamento. o movimento feminista define o empoderamento real como a mudança nas estruturas de decisão e poder. e se todas nós tirássemos as roupas, os homens ainda continuariam em suas posições de privilégios. fato. minha bunda não vai derrubar o patriarcado. não mesmo. e aliar a imagem com a legenda foi realmente um erro. ao mesmo tempo, vibrava com o fato das mulheres postarem fotos de seus corpos (nús ou não) no movimento de auto-aceitação e despadronização dos corpos. outro erro meu, pois sou uma mina branca e com um corpo padrão (aí entram a intersecção e a nudez política dos corpos preteridos). de lá pra cá, também aprendi um bocado sobre o body positive, a gordofobia, a pressão estética, o antirracismo e outras coisas. precisei expôr minha ignorância para aprender e evoluir. ninguém sabe tudo e a desconstrução é diária. vejo hoje muitas mulheres postando fotos de suas rabas nas redes e acho válido, de verdade - entendendo, hoje, que isso não é empoderamento. eu mesma tenho meus momentos bundísticos e também posto. e tudo certo. tudo divino maravilhoso. mesmo que a gente ainda não possa andar nas ruas com a roupa que bem desejarmos sem sofrer assédio ou violência (direito esse que é concedido aos homens), nós lutamos também por isso. eu sinto que essa ainda é uma questão que confunde muitas mulheres. como eu sempre acreditei no diálogo como exercício fundamental para evolução e aprendizado e no exercício humilde de tentar fomentar alguma reflexão sobre o feminismo, pergunto: e aí, mânas e minos desconstruídos, o que vocês acham sobre isso? vamos juntxs (juntes). fazendo a revolução e aprendendo, sempre + + + desenho da @saritts.s

Uma publicação compartilhada por Ana Cañas (@ana_canas) em

Direitos da mulher