PUBLICIDADE

Topo

Adolescente é suspeito de estuprar, sequestrar e matar mulheres no Pará

Samara Mescouto foi encontrada morta em Marituba (PA) - Reprodução/Redes sociais
Samara Mescouto foi encontrada morta em Marituba (PA) Imagem: Reprodução/Redes sociais

Abinoan Santiago

Colaboração para Universa, em Ponta Grossa (PR)

13/01/2020 14h21

Um adolescente de 17 anos está apreendido desde ontem em Marituba, região metropolitana de Belém, suspeito de sequestro, roubo e estupro contra quatro mulheres entre 4 e 11 de janeiro. Uma das vítimas, de 20 anos, foi encontrada morta em um terreno próximo à casa do adolescente, que teria indicado o local aos policiais.

Segundo a Polícia Civil, o adolescente, chamado pela investigação de "maníaco de Marituba", agia da mesma maneira em todos os casos. Ele procurava jovens que anunciavam nas redes sociais serviços domiciliares de estética e se passava por uma cliente via aplicativo de mensagens.

O adolescente, conforme a investigação, indicava um posto de gasolina, na BR-316, em Marituba, como ponto de encontro. Ele chegava ao estabelecimento e dizia que era marido da suposta cliente ou contratado dela para dar carona às esteticistas até a casa da suposta mulher. No percurso, o caminho era desviado para áreas de mata, onde o adolescente abusava das vítimas e as roubava.

De acordo com o delegado geral de Polícia Civil do Pará, Alberto Teixeira, o primeiro caso foi registrado em 4 de janeiro, quando a vítima conseguiu escapar depois do abuso. O segundo registro ocorreu seis dias depois, quando familiares de Samara Mescouto, 20, estranharam a falta de contato da jovem após ter saído para atender a suposta cliente. Posteriormente, o corpo de Samara foi encontrado morto.

O último caso foi no dia 11, quando duas irmãs, de 19 e 24 anos, foram até o local combinado. A mais velha conseguiu escapar e acionou a Polícia Civil. A caçula foi encontrada no mesmo dia, com ferimentos graves e permanece internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Emergências e Urgências de Ananindeua, na Grande Belém, segundo a família.

"Ela (a primeira vitima) disse que essa pessoa se passava por uma mulher nas redes sociais e que contratava serviços de estética. As vítimas eram atraídas para um local (perto da casa do suspeito). Chegando lá, dizia que estava contratado para buscá-la ou que era esposo da cliente. As vítimas acreditavam e seguiam com esse adolescente, mas, no deslocamento, ele as levava para áreas de mata e as estuprava", explica Alberto Teixeira, que deve denunciar o suspeito por infrações análogas aos crimes de estupro, roubo, sequestro e feminicídio.

Vítima assassinada era sobrinha de deputado federal

O corpo encontrado próximo à casa do adolescente era de Samara Mescouto. Segundo a mãe dela, Elen Cristina Mescouto, de 49 anos, a filha saiu na manhã de 10 de janeiro para atender a suposta cliente em Marituba.

A família passou a suspeitar do sumiço quando a jovem deixou de atualizar as redes sociais sobre o serviço realizado e a falta de contato com os parentes para avisar sobre a demora no atendimento.

"Nós ficamos preocupados na parte da tarde porque como ela fazia o trabalho e publicava nas redes sociais, isso não aconteceu. Além disso, a última vez que viu o WhatsApp foi 9h da manhã. Achamos, inicialmente que o celular estivesse descarregado, mas mesmo assim, ela sempre usava o celular da cliente para avisar algo. Neste dia, isso não aconteceu. Quando retornei da igreja, passei na casa dela à noite e o esposo informou que a minha filha não retornou. Desde então, ficamos preocupados e, com o passar o tempo, a angústia apenas aumentou", contou a mãe.

Samara Mescouto é sobrinha o deputado federal Delegado Éder Mauro (PSD). Ele comentou nas redes sociais que auxiliou nas buscas para encontrar a parente, em Marituba.

A jovem era casada e deixa três filhos, de 2, 4 e 5 anos. O enterro da vítima ainda não ocorreu, pois a família aguarda a liberação do corpo pelo Instituto Médico Legal (IML).

Sobrevivente está traumatizada, diz mãe

A vítima internada em estado grave é Jenyfer Silva, de 19 anos. Ela também trabalha com estética e marcou para 11 de janeiro o serviço com a suposta cliente. A jovem levou uma irmã, de 24 anos, que não teve a identidade revelada.

Chegando ao local combinado, o adolescente teria levado Jenyfer e, após muito tempo, retornou para buscar a outra vítima. A irmã mais velha, contudo, conseguiu escapar depois de ter sido abusada, segundo a mãe de ambas, Cristiane Silva, de 43 anos.

Jenyfer foi encontrada inconsciente no mesmo dia em uma área de mata com marcas de agressões. Ela está internada em estado grave. "Ela não estava reagindo aos comandos até ontem e hoje também não. Ainda permanece em coma. A irmã dela está muito traumatizada ainda e também com alguns machucados. Ele levou as duas e depois que abusou delas, a mais velha conseguiu fugir", contou a mãe, ainda muito abalada.

A reportagem de Universa não conseguiu localizar a família da vítima de 4 de janeiro.

Câmeras ajudaram a identificar suspeito

Com o depoimento das vítimas, a Polícia Civil obteve imagens de câmeras de segurança no percurso usado pelo adolescente e identificaram o suspeito, que foi apreendido na tarde de ontem, em um apartamento alugado onde morava em Marituba.

De acordo com a polícia, o adolescente confessou os quatro crimes na Delegacia de Divisão de Atendimento ao Adolescente, em Belém. Ele ainda apontou a participação de mais uma pessoa na morte de Samara Mescouto. O homem também está detido, mas não teve a identidade revelada. Ambos ainda não apresentaram defesa.

"Temos a compreensão total da participação de ambos (na morte de Samara)", disse Teixeira, que não descarta que outras pessoas tenham sido vítimas do adolescente.

Os casos geraram repercussão e o governador do Pará, Hélder Barbalho (MDB), usou as redes sociais para comentar os crimes praticados pelo adolescente. Ele determinou prioridade máxima à Polícia Civil para elucidar os casos.

Violência contra a mulher