PUBLICIDADE

Topo

Mulher morre após ser golpeada com bomba de chimarrão em Porto Alegre

Getty Images
Imagem: Getty Images

Hygino Vasconcellos

Colaboração para Universa, em Porto Alegre

08/01/2020 23h10

Uma mulher de 34 anos, identificada como Simone Ferreira, morreu em Porto Alegre após ser golpeada com uma bomba de chimarrão - utensílio metalizado usado para sorver a água do mate. O ex-companheiro, 34 anos, é o principal suspeito do crime. Ele foi preso depois de ser contido por vizinhos. Para os policiais militares em uma primeira abordagem, o homem afirmou que desferiu socos, pontapés, cadeiradas e ainda golpeou a ex com um garfo - além da bomba de chimarrão. Entretanto, não explicou a motivação para o crime. Em depoimento formal à polícia, o suspeito ficou em silêncio.

O crime aconteceu no último domingo (5) após o homem invadir a casa da ex-mulher na Vila Ramos, no bairro Santa Rosa de Lima, por volta das 7h. "Ele quebrou vários objetos e a casa estava revirada, o que indica que provavelmente teve luta corporal", detalha a delegada Tatiana Bastos, da Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (Deam) e responsável pela investigação.

Vítima chegou a ser internada em hospital

Uma vizinha ouviu os gritos de socorro de Simone e correu até a moradia. Ao chegar ao local, encontrou-a caída ao chão, desmaiada e "se afogando no próprio sangue", observa a delegada, segundo relato da mulher à polícia. Outros vizinhos entraram na moradia e contiveram o homem até a chegada da Brigada Militar. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e a mulher foi levada às pressas para o Hospital Cristo Redentor. Simone chegou a permanecer 24 horas internada, mas não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo.

O inquérito chegou ontem à Deam e, por isso, os investigadores ainda não tiveram acesso aos prontuários médicos de atendimento médico. Entretanto, segundo a delegada, a mulher foi golpeada com a bomba de chimarrão em dois pontos: no pescoço e na região do abdômen. A polícia também aguarda o laudo da necropsia para apontar a causa da morte. Por enquanto, apenas vizinhos foram ouvidos pelos investigadores e, nos próximos dias, devem prestar depoimentos a familiares da vítima.

Segundo relatos de vizinhos, Simone e o companheiro tinham um relacionamento conturbado e estavam em processo de separação, ao qual o homem não aceitava. Os dois permaneceram juntos por cinco anos, mas nunca moraram na mesma residência. Em 2017, a mulher registrou uma ocorrência contra ele por lesão corporal e ingressou com um pedido de medida protetiva, que não está mais valendo.

O nome do suspeito, detalhamento dos antecedentes criminais e imagens do local do crime não foram repassados pela polícia devido à Lei de Abuso de Autoridade, em vigor desde o começo deste ano. O homem foi preso em flagrante, porém, ainda de acordo com a nova legislação, não foi informado para qual presídio ele foi encaminhado.

O sepultamento de Simone ocorreu na segunda-feira (6) no Cemitério Parque São Jerônimo, em Alvorada.

Violência contra a mulher