PUBLICIDADE

Topo

Advogada que defende Harvey Weinstein é contra movimento #MeToo

Jeenah Moon/Reuters
Imagem: Jeenah Moon/Reuters

De Universa, em São Paulo

07/01/2020 14h21

Uma mulher é a responsável por liderar a equipe de advogados que está defendendo o ex-produtor norte-americano Harvey Weinstein na Justiça - ele coleciona cinco acusações de crimes sexuais

Donna Rotunno, segundo a imprensa internacional, já defendeu outros homens denunciados pelo mesmo tipo de atitude e é contra o movimento #MeToo. Em mais de 15 anos no ramo jurídico, ela participou de cerca de 40 casos semelhantes ao de Weinstein.

"Todo mundo merece uma defesa. Penso que trabalho nesses casos porque acredito que posso ser eficaz para o cliente", afirmou ela ao The Wall Street Journal há meses.

De acordo com o site Refinery 29, Rotunno falou que seu objetivo no julgamento de Weinstein é "ajudar a convencer as mulheres a assumir a responsabilidade por suas próprias ações".

No mês passado, ela deu uma forte declaração contrariando as mulheres que acusam Weinstein. "Se você não quer ser vítima, não vá ao quarto de hotel", disse a advogada.

Primeiro dia de julgamentos

As audiências, no entanto, não começaram bem para Weinstein. O juiz do caso decidiu barrar uma testemunha e solicitou para a defesa que "deixe as testemunhas em paz".

James Burke ainda determinou a rejeição de um pedido da defesa de isolar o júri até o final do julgamento.

Ainda ontem, a procuradora Jackie Lacey, do condado de Los Angeles, acusou o ex-produtor de supostamente ter assediado sexualmente uma mulher e estuprado outra.

"Acreditamos que as provas mostrarão que o réu usou seu poder e influência para ter acesso às vítimas e depois cometer crimes violentos contra elas. Quero elogiar as vítimas que corajosamente contaram o que aconteceu. É a minha esperança que todas as vítimas de violência sexual encontrem força e cura à medida que avançam", disse Lacey em entrevista coletiva.

Violência contra a mulher