PUBLICIDADE

Topo

Diversidade

Harry Styles rebate perguntas sobre bissexualidade: "Quem se importa?"

O cantor, porém, disse não se incomodar com esse tipo de pergunta, uma vez que escolheu uma carreira que o deixa sujeito a isso - Reprodução/Twitter
O cantor, porém, disse não se incomodar com esse tipo de pergunta, uma vez que escolheu uma carreira que o deixa sujeito a isso Imagem: Reprodução/Twitter

De Universa, em São Paulo

16/12/2019 17h48

Repetidamente questionado sobre uma suposta bissexualidade, o cantor Harry Styles segue sem confirmar sua orientação sexual e negou que esteja escondendo a resposta apenas "porque sim".

"Não é um caso de 'não estou te dizendo porque não quero'", disse Harry em recente entrevista ao The Guardian. "É mais como: 'Quem se importa? Isso faz sentido?'", completou.

O ex-One Direction também rejeitou a ideia de que estivesse deixando sua sexualidade "ambígua" para se aproveitar de fãs LGBT e deu pouca importância à possível influência de suas roupas no julgamento das pessoas sobre esse assunto.

"Quero que as coisas sejam de um jeito específico. Não porque isso me faz parecer gay, hétero ou bissexual, mas porque acho que é legal", disse. "Mais do que isso, acho que a sexualidade é algo divertido. Sinceramente? Nunca pensei muito sobre isso."

Harry ainda disse não se incomodar com esse tipo de pergunta, uma vez que escolheu uma carreira que o coloca nos holofotes e o deixa sujeito a esses questionamentos. "Você entende que alguém pode perguntar e espera que os outros entendam se você não quiser responder", rebateu.

"Época libertadora"

Ao The Guardian, o cantor também falou da importância da autoaceitação e comemorou o fato de as limitações antes impostas à moda, à música e à sexualidade estejam gradualmente desaparecendo.

"Se vejo uma camiseta legal e alguém me diz que é para mulheres, penso: 'Ok? Isso não faz com que eu queira menos usá-la", contou. "Vivemos numa época muito livre e libertadora. Acho que as pessoas estão perguntando 'por que não?' muito mais, o que me anima".

Diversidade