PUBLICIDADE

Topo

Direitos da mulher

"Homens precisam aprender a se desculpar", diz ativista americana

Eve Ensler acredita que só punir abusadores não é o suficiente - Stacie McChesney / TED
Eve Ensler acredita que só punir abusadores não é o suficiente Imagem: Stacie McChesney / TED

Fernanda Ezabella

Colaboração para a Universa de Palm Springs, Califórnia (EUA)

06/12/2019 04h00

A dramaturga, ativista e feminista americana Eve Ensler passou as últimas duas décadas viajando o mundo e denunciando homens por abusos sexuais e violência contra mulheres. Recentemente, percebeu que é preciso fazer algo ainda mais difícil: descobrir um jeito de trazê-los para perto.

Ensler criou a peça "Monólogos da Vagina" há 23 anos, baseada em entrevistas com mais de 200 mulheres. A peça foi encenada em mais de 120 países, incluindo Brasil, onde está em cartaz até hoje em São Paulo. Com o sucesso, a americana criou a fundação V-Day, que já levantou US$ 85 milhões para ajudar na luta pelo fim da violência contra mulheres no mundo.

"Não queremos que os homens sejam destruídos. Não queremos que eles sejam apenas punidos. Queremos que eles nos vejam e se arrependam e mudem", disse Ensler na quarta-feira, no TED Women, uma conferência que acontece nesta semana em Palm Springs, Califórnia.

"Acredito que é possível. É o caminho a seguir. Mas precisamos que os homens se juntem a nós. Eles precisam ter coragem e fazer parte dessa transformação."

Ensler começou a mudar seu jeito de pensar quando escreveu seu livro mais recente, "Apology" (desculpa), lançado neste ano. Abusada sexualmente pelo pai dos 5 aos 10 anos, Ensler viu seu pai morrer sem nunca ter se desculpado. Ela resolveu então fazer um exercício, centro do livro: escreveu ela mesma o pedido de desculpas que gostaria de ter ouvido de seu pai.

"Nunca ouvi um homem que cometeu um estupro ou violência física se desculpar publicamente", disse Ensler, que também escreveu a peça "The Good Body", sobre a obsessão feminina com sua aparência. "E com todos esses escândalos recentes, comecei a pensar... Precisamos fazer algo mais difícil ainda, precisamos trazê-los para perto."

Para a autora, um pedido de desculpas verdadeiro passa por quatro etapas. A primeira é detalhar o que aconteceu, e não generalizar. Não funciona dizer apenas: "me desculpe que eu abusei sexualmente de você". É preciso detalhes. "Um pedido de desculpas é conectar o passado com o presente", disse.

A segunda etapa é explicar o por quê, e a terceira é parar para sentir o que sua vítima passou e provavelmente ainda passa. "Você precisa deixar seu coração se partir, quebrar. E sentar ao lado do sofrimento que causou", disse.

Já o quarto passo é punição, pagar pelos erros e fazer as pazes. "Por que uma pessoa vai querer passar por um processo tão humilhante assim?", perguntou. "Porque é a única coisa que vai te libertar. E que vai libertar sua vítima. Você não apenas destruiu sua vítima. Você se destruiu também."

Direitos da mulher