Topo

"O estuprador é você": feministas chilenas viralizam com protesto nas ruas

Grupo "Las Tesis" traz pensamentos feministas e de denúncia em protestos virais - Reprodução/Twitter
Grupo "Las Tesis" traz pensamentos feministas e de denúncia em protestos virais Imagem: Reprodução/Twitter

Nathália Geraldo

De Universa

28/11/2019 12h33

O coletivo feminista Las Tesis, com base em Valparaíso, no Chile, ganhou as redes sociais e a atenção da mídia internacional com um protesto feito nas ruas, o "Un Violador en Tu Camino" (Um estuprador em seu caminho), em que denunciam as opressões resultantes do patriarcado, do machismo e da cultura do estupro a que mulheres são submetidas no país.

O protesto une mulheres que entoam uma canção de denúncia que, entre outras frases, afirmam que "El violador eres tú" ("O estuprador é você"), dando ênfase ao fato de não importar o tipo de roupa ou o lugar em que elas estavam. As mulheres usam vendas pretas e fazem uma coreografia ensaiada para sensibilizar as pessoas na rua sobre os temas.

O vídeo com o flash mob feito por mulheres com vendas pretas caiu nas redes e viralizou. O coletivo Las Tesis divulga em seu Instagram novas convocatórias para que mulheres se reúnam e façam o protesto em várias partes do Chile — elas sugerem que sejam incorporadas ações com língua de sinais e adaptações necessárias e inclusivas.

"O violador eres tú": intervenção feminista no Chile

Pelo menos desde 20 de novembro, mulheres do coletivo feminista têm se organizado para fazer o protesto "Um Violador en Tu Camino". Num trecho da música, as manifestantes cantam: "E não foi minha culpa, nem onde eu estava ou como me vesti. O estuprador era você. Eles são os pacos [polícia militarizada chilena]. Juízes. O estado. O presidente. O estado opressivo é um estuprador "

Na segunda-feira, 25 de novembro, elas fizeram uma intervenção na Plaza de Armas, em Santiago, que viralizou (veja o vídeo).

No final de outubro, os grupos feministas precisaram se organizar para denunciar os abusos — incluindo estupros e violências sexuais — que meninas que iam a protestos nas ruas vinham sofrendo.

Há mais de um mês, o Chile vive dias de protestos por conta do aumento da passagem do transporte público. Nas ruas, a população tem aumentado a pauta das reivindicações contra o Governo e, diante do cenário, os deputados aprovaram uma redução de 50% nos próprios salários provisória.

Direitos da mulher