PUBLICIDADE

Topo

Universa

Jovem usa tutorial de beleza para citar "campos de concentração" chineses

Feroza Aziz fingiu um tutorial de beleza no TikTok para falar sobre campos de concentração na China; conta da adolescente na rede social foi derrubada - Reprodução
Feroza Aziz fingiu um tutorial de beleza no TikTok para falar sobre campos de concentração na China; conta da adolescente na rede social foi derrubada Imagem: Reprodução

De Universa, em São Paulo

27/11/2019 19h37

Resumo da notícia

  • Feroza Aziz publicou um vídeo que parecia ser sobre cílios, mas que na verdade falava sobre muçulmanos na China
  • Em suas palavras, uigures têm sido mandados a campos de concentração, onde são alvos de ataques
  • Conta de Feroza Aziz no TikTok foi suspensa anteontem, mesmo dia em que os vídeos foram publicados
  • Segundo a rede social chinesa, conta foi derrubada por publicações anteriores; Feroza afirma que sua conta já voltou ao ar

O vídeo de uma adolescente no TikTok tem sido motivo de grande repercussão nas redes sociais nos últimos dias.

Em sua conta na rede social chinesa, a afegã-americana Feroza Aziz começa um breve vídeo na segunda-feira prometendo a seus seguidores que irá ensinar "como conseguir cílios longos". No entanto, o tom do tutorial logo muda.

"A primeira coisa que vocês vão precisar é de um curvador de cílios - e curvar seus cílios, obviamente. Depois, então, peguem o celular que vocês estão usando agora mesmo e pesquisem o que está acontecendo na China: como eles têm campos de concentração, jogando inocentes muçulmanos lá, separando famílias, sequestrando-os, matando-os, estuprando-os, forçando-os a comer carne de porco, forçando-os a beber (bebidas alcoólicas), forçando-os a se converter a religiões", afirmou.

A mensagem de Feroza Aziz faz referência aos uigures chineses. Pelo menos desde 2018, a imprensa internacional noticia a prisão de cidadãos da etnia em Xinjiang, região autônoma ao noroeste da China. O povo uigur - cuja religião é principalmente o islamismo - é maioria na região, marcada por conflitos separatistas.

"Todo domicílio, toda família tem três ou quatro pessoas que foram levadas", afirmou Omer Kanat, presidente do comitê executivo do Congresso Mundial dos Uigures, em reportagem publicada pela CNN em fevereiro de 2018. "Em alguns vilarejos, você não pode mais ver homens nas ruas - apenas mulheres e crianças. Todos os homens foram levados a campos de concentração."

De acordo com o site Business Insider, o TikTok suspendeu a conta da usuária. Em conta do Twitter creditada a ela, Feroza confirma as informações. "Estou bloqueada de postar no TikTok por um mês. Isso não vai me silenciar", afirmou ela na segunda-feira.

"Atualização: entrei em contato com o TikTok na manhã de ontem e ainda não tive uma resposta. Ainda estou esperando para que eles expliquem por que minha conta foi suspensa, um dia depois de eu ter postado meu vídeo em três partes sobre os uigures", acrescentou hoje.

Duas horas depois, segundo ela, sua conta voltou ao ar normalmente - o que ela considerou "muito suspeito".

Mais tarde, a rede social se manifestou por um porta-voz. À agência de notícias AFP, a empresa afirmou que Feroza foi banida por anteriormente publicar imagens de Osama Bin Laden, sem entrar em detalhes.

"O TikTok não modera conteúdo por sensibilidade política", assegurou a assessoria da empresa. "Neste caso, a conta anterior da usuária e seu aparelho associado foram banidos após a postagem de um vídeo de Osama Bin Laden, o que viola a diretriz de banimento do TikTok que inclui imagens relacionadas a organizações terroristas. Sua nova conta e seus vídeos, incluindo o vídeo em questão, não foram afetados", completou.

Feroza Aziz faz tutorial de maquiagem para falar de ataques a uigures na China

UOL Notícias

Universa