Topo

Astro do K-pop acusado de estupro pode ser condenado a sete anos de prisão

Astro do K-pop Jung Joon-young é preso em escândalo sexual -  JUNG Yeon-Je / AFP
Astro do K-pop Jung Joon-young é preso em escândalo sexual Imagem: JUNG Yeon-Je / AFP

13/11/2019 17h03

O cantor de K-pop Jung Joon-young pode ser condenado a sete anos de prisão na Coreia do Sul por sua atuação em um estupro coletivo e por gravar ilicitamente e compartilhar as imagens do crime, segundo informações da "Newsweek".

A promotoria sugere também que outro cantor, Choi Jong-hoon, da banda F.T. Island, cumpra cinco anos de detenção por envolvimento na agressão sexual registrada em março de 2016, de acordo com relatos do site de notícias sul-coreano Soompi.

Os dois artistas e três outros estão sendo julgados por supostamente estuprar e filmar uma mulher enquanto ela estava desmaiada em uma festa dentro de um quarto de hotel, em março de 2016. Em junho, Jung admitiu ter feito sexo com a mulher, mas negou o estupro. Choi negou todas as acusações e disse que não fez sexo com a mulher, segundo a Agência de Notícias Yonhap.

Na quarta-feira, os promotores pediram acusações formais contra todos os cinco suspeitos, incluindo tempo de prisão que varia de 5 anos a 10 anos para os envolvidos. Os promotores também recomendaram que eles sejam proibidos de trabalhar com menores de idade por dez anos e que passem por reabilitação por crimes sexuais, disse o Soompi.

"Os pedidos foram feitos considerando a natureza dos crimes e que os acordos não foram alcançados com as vítimas", disseram os promotores.

Em março, Jung foi indiciado por gravar imagens, ilegalmente, enquanto fazia sexo com mulheres e por compartilhar as imagens com outras pessoas em grupos de bate-papo. Ele admitiu que filmou as mulheres sem o seu consentimento, dizendo em um comunicado: "Eu admito todos os meus crimes".

"Filmei mulheres sem o consentimento delas e as compartilhei (as imagens) em uma sala de bate-papo, e enquanto o fazia não senti culpa", disse Jung. "Durante o resto da minha vida, vou me arrepender de meus atos imorais e ilegais que constituem crimes".

Em maio, Jung se declarou culpado em um processo criminal por 11 acusações de filmar ilicitamente e compartilhar imagens, e disse que queria fazer um acordo com as vítimas.

O caso de estupro surgiu com a revelação das notícias sobre as gravações ilegais realizadas por Jung. A vítima, ao saber do caso, procurou um advogado, que expôs as conversas em grupo e confirmou a ela que havia um clipe de áudio e seis fotos suas no bate-papo, informou o "Korea Times".

"Depois de ver os relatos da mídia sobre essas conversas em grupo, percebi que eles não eram realmente meus amigos. Eles me trataram como um brinquedo. Foi humilhante e difícil. Espero que eles recebam a punição que merecem", disse a mulher à emissora SBS em abril.

Violência contra a mulher