Topo

Moda

Marca lança primeira coleção de moda feita a partir do DNA de mulheres

A marca procurou um laboratório de genética e reuniu 19 influenciadoras digitais de várias regiões - Divulgação
A marca procurou um laboratório de genética e reuniu 19 influenciadoras digitais de várias regiões Imagem: Divulgação

De Universa

04/11/2019 13h02

Como a genética pode ser usada na moda? A Amaro lança hoje a primeira coleção de roupas desenvolvida a partir do mapeamento do DNA de mulheres brasileiras. Segundo a marca, a intenção é valorizar as características individuais de diferentes perfis femininos, o que significa fugir das tendências. São 57 peças, com preços entre R$ 100 e R$ 300.

A marca procurou um laboratório de genética e reuniu um time diverso de 19 mulheres, influenciadoras digitais, de várias regiões.

Após a coleta de amostras de saliva das personagens, foi feita a análise de mais de 700 mil regiões do DNA pelo método SNP (Single Nucleotide Polymorphism). Foram mapeadas informações como formas de lidar com estresse, preferências diurnas ou noturnas, habilidades matemáticas e níveis de impulsividade.

Para a geneticista Juliana Saquete, biomédica e especialista em biologia molecular e genética da Genera, o resultado é a personalização dos produtos, de acordo com as preferências e as características de cada um. As 19 mulheres analisadas e que inspiraram as roupas são: Maju Silva, Carol Rocha, Stella Yeshua, Loo Nascimento, Cris Paladino, Mel, Poliana Okimoto, Keila Gomes, Julia Ferreira, Camila Acchutti, Lian Tai, Lara Dias, Joana Cannabrava, Mari Maria, Gabie Fernandes, Gessica Justino, Fabi Justus, Vanessa Rozan e Suzana Ceridono.

Após o brainstorm entre estilistas, designer de estampas e a geneticista, a inspiração para o desdobramento dos dados genéticos se traduziu por meio das cores, tecidos, fluidez, estampas e modelagens.

Loo Nascimento - Divulgação
Loo Nascimento
Imagem: Divulgação

O time de criação desenvolveu as peças sem saber quais informações eram de cada personagem, para não influenciar no produto final.

Por exemplo, Loo Nascimento (na foto) apresentou impulsividade média, que foi traduzida em estampa marcante, modelagens leves e tecidos confortáveis de fibra natural, priorizando conforto, avaliando a forma de ela lidar com o estresse.

Moda