Topo

Príncipe Andrew quer provar que foto com suposta vítima de abuso é falsa

De Universa

29/10/2019 15h06

Há dois meses, o príncipe Andrew, duque de York e terceiro filho da rainha Elizabeth, foi acusado de ter abusado sexualmente de duas adolescentes: Johanna Sjoberg, em 2015, e Virginia Giuffre, em 2001. Agora, pessoas próximas tentam provar que uma foto dele ao lado de Virginia, então com 17 anos, clicada na casa do criminoso sexual Jeffrey Epstein, é falsa.

Amigos que não se identificaram disseram ao "The Sunday Times" que contrataram especialistas para fazer uma perícia na foto. Eles acreditam que a imagem é resultado de uma montagem de alta qualidade, parte de um "elaborado esquema" contrário a Andrew.

Segundo o tabloide britânico, o grupo alega que as mãos do príncipe Andrew na foto não são "gordinhas" o suficiente.

Eles também apontaram que a foto mostra Andrew e Giuffre da mesma altura, quando, na realidade, o príncipe é cerca de quinze centímetros mais alto que ela.

Entenda o caso

O príncipe Andrew e Jeffrey Epstein, milionário condenado por uma série de crimes sexuais, eram amigos pelo menos desde a década de 1990. Os dois já foram vistos juntos em viagens a Saint Tropez e à Tailândia.

Um dia antes que Epstein ser encontrado morto, supostamente por suicídio, em uma cadeia de Nova York, milhares de documentos relacionados a suas denúncias foram abertos — entre eles um processo por difamação movido por Virginia Roberts Giuffre contra o duque de York.

Giuffre alega ter sido "traficada" para Andrew em 2001, quando tinha 17 anos. À "People", ela disse que Epstein a teria forçado a transar com o príncipe, que depois do abuso ainda teria "agradecido" pelos "serviços prestados".

A mulher, hoje com 35 anos, diz que os dois se relacionaram primeiro no banheiro e depois no quarto. "Ele não foi rude nem nada, mas disse obrigado e foi embora. Eu não podia acreditar que a realeza estava envolvida [nas atividades criminosas de Jeffrey Epstein]".

Johanna Sjoberg, que é testemunha de Giuffre na ação, alega que há quatro anos também foi vítima do príncipe, que teria tocado seu seio propositalmente e sem consentimento na hora de tirar uma foto com ela e Virginia, em um sofá, durante uma festa na casa de Jeffrey Epstein.

Questionado pela emissora norte-americana, o Palácio de Buckingham, residência oficial da rainha, negou as acusações. "Qualquer sugestão de impropriedade com menores de idade é categoricamente falsa", escreveu, em nota.

Violência contra a mulher