Topo

Marido confessa ter estrangulado modelo com cinto de segurança, diz polícia

Modelo Maria Lucilene da Silva Monteiro - Reprodução / Facebook
Modelo Maria Lucilene da Silva Monteiro Imagem: Reprodução / Facebook

Aliny Gama

Colaboração para Universa, em Maceió

22/10/2019 11h26

Após ficar cinco dias desaparecida, a modelo Maria Lucilene da Silva Monteiro, 38 anos, foi encontrada morta pela polícia, com sinais de espancamento e estrangulamento. Segundo a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), o marido dela, Francisco Hélio Batista Araújo, 47, confessou no último sábado o feminicídio e indicou o local onde escondeu o corpo — um terreno baldio, no município de Aquiraz, região metropolitana de Fortaleza.

A Polícia Civil apresentou ontem detalhes do caso. O homem contou que discutiu com a vítima minutos antes de matá-la e utilizou o cinto de segurança do carro para tirar a vida da mulher. Um segundo homem foi preso e permaneceu calado durante o interrogatório. De acordo com a confissão de Araújo, Antônio Vanderlei Ferreira Lima, 47, teria participado da ocultação do corpo.

A modelo estava desaparecida desde o último dia 15, quando foi vista saindo do prédio que morava na companhia do marido. No dia seguinte, a família registrou um Boletim de Ocorrência na Delegacia da Mulher. O caso foi repassado ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil do Estado do Ceará.

Araújo sumiu depois que a polícia levantou suspeita da participação dele no desaparecimento da mulher. O homem foi preso durante abordagem da PRF (Polícia Rodoviária Federal), trafegando em um veículo na rodovia BR-116, no município de Jaguaribe. Ao ser revistado, confessou ter assassinado a mulher durante uma discussão dentro do carro, segundo a polícia. Ele foi levado pelos policiais rodoviários federais para Fortaleza e entregue ao DHPP.

Universa tentou localizar a defesa dos dois homens, mas não conseguiu. Eles estão presos aguardando audiência de custódia. A Justiça decidirá se converte a prisão em flagrante em prisão preventiva, ou se eles responderão pelo crime em liberdade.

Família relata violência

A família de Maria Lucilene contou à polícia que a mulher sofria violência doméstica praticada pelo marido e que estava tentando se separar. Mas ele insistia em manter o relacionamento. O casal tem uma filha de 12 anos, que estava na casa da avó quando a mãe desapareceu e o pai sumiu.

"Hélio revelou aos policiais que praticou o feminicídio por causa de ciúmes da companheira. Segundo levantamentos da Polícia Civil, a modelo queria se separar do marido, mas ele não aceitava o término da relação", informou a Polícia Civil.

O homem disse aos policiais que fugiu para o município de Pau dos Ferros (RN) depois que a polícia levantou suspeita do envolvimento dele no desaparecimento da mulher. Durante o interrogatório, Araújo apontou o local exato onde o corpo de Lucilene foi deixado, após ele cometer o crime, e revelou que Antônio Vanderlei Ferreira Lima ajudou a ocultar o corpo da modelo. "Após praticar o crime, ele recorreu a Vanderlei para ajudar a esconder o corpo dela", disse a polícia.

Imagens de Maria Lucilene estavam sendo compartilhadas em redes sociais com o intuito de localizá-la. A DHPP também publicou foto no setor de desaparecidos. Ela trabalhava como modelo e vendedora de uma loja em Fortaleza.

Imagens registradas no prédio

Câmeras do circuito interno do prédio onde a modelo morava com o marido e a filha gravaram a última vez em que ela foi vista. As imagens mostram Maria Lucilene saindo do prédio junto com o marido. Horas depois, o homem voltou sozinho ao apartamento e, em seguida, saiu sem manter contato com ninguém.

O velório da modelo ocorreu na casa da mãe dela, no bairro Colônia, em Fortaleza. Maria Lucilene foi enterrada na manhã de ontem no cemitério Antônio Bezerra, no bairro Antônio Bezerra.

Universa entrou em contato com uma irmã de Maria Lucilene, identificada pelo nome de Liduína. Ela declarou que a família está muito abalada e que não tinha condições de conversar com a imprensa.

A Polícia Civil segue com as investigações sobre a morte da modelo para descobrir detalhes da participação do marido dela e do amigo dele, bem como para finalizar o procedimento e enviá-lo ao Poder Judiciário.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Violência contra a mulher