Topo

Professor é denunciado por pedir fotos e assediar aluna de 12 anos

Mensagens enviadas pelo homem de 52 anos foram entregues à polícia e serão analisadas - Arquivo pessoal
Mensagens enviadas pelo homem de 52 anos foram entregues à polícia e serão analisadas Imagem: Arquivo pessoal

Simone Machado

Colaboração para Universa, em São José do Rio Preto

09/10/2019 14h45

A Polícia Civil de Ariranha, interior de São Paulo, abriu inquérito para investigar um professor de 52 anos por assédio sexual contra uma adolescente de 12 anos, que é sua aluna.

Os pais da menor procuraram a polícia no último sábado (5) e registraram boletim de ocorrência depois de encontrar no celular da filha diversas mensagens e áudios com conteúdo sexual enviadas pelo professor. A escola anunciou que afastou o suspeito, que não teve a defesa localizada por Universa.

"Foi horrível quando eu vi aquelas mensagens pornográficas no celular da minha filha. Quando a questionei, ela explicou tudo o que vinha acontecendo. Desde então ela não está mais indo para a escola e estamos esperando uma providência da justiça", diz a mãe que pediu para não ser identificada, assim como a filha.

O docente dá aula de matemática na escola Estadual Gabriel Hernandes, local onde a menina cursa o sétimo ano. O nome dele não foi divulgado pela polícia. As mensagens e áudios enviados pelo professor para a adolescente foram entregues à polícia e serão analisados.

A reportagem de Universa teve acesso a alguns desses áudios. Em um deles é possível o professor pede para a garota ser discreta.

"A gente tem que disfarçar um pouquinho senão vai dar muita bandeira. Você quer ver eu preso, isso? Eu tenho a maior vontade...a gente tem que ter cuidado, não pode vazar essa informação de jeito nenhum", diz a pessoa que seria o professor em um trecho do áudio.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Gilberto César Costa, um inquérito policial foi aberto e as investigações estão sendo feitas. A adolescente e a mãe dela foram ouvidas. O professor deve prestar depoimento ainda essa semana e a defesa dele não foi localizada por Universa.

"É muito cedo para falarmos algo desse caso porque estamos em fase inicial de investigação. Tudo será apurado com cautela para ver quais possíveis crimes foram cometidos", explica o delegado.

Professor é afastado

Em nota a Diretoria Regional de Ensino de Catanduva informa que tomou todas as providências necessárias. O professor já foi afastado das atividades em sala de aula e uma apuração preliminar foi aberta.

Se comprovadas as denúncias, serão aplicadas as penalidades pertinentes. A administração regional está à disposição dos pais e responsáveis pelos alunos e colabora com a polícia.

Violência contra a mulher