Topo

Agências de adoção ligadas a religiões nos EUA poderão negar casais LGBTQ+

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto

De Universa, em São Paulo

28/09/2019 12h52

Um juiz no Michigan (EUA) decidiu que agências de adoção ligadas a organizações religiosas poderão se recusar a colocar crianças em lares ancorados por casais LGBTQ+. O Juiz Robert Jonker, da cidade de Grand Rapids, foi o responsável pela decisão, segundo o site da TIME.

Jonker agiu para bloquear uma decisão contrária da Procuradora-Geral do estado, Dana Nessel, que recentemente se tornou a primeira mulher abertamente gay a ser eleita para o cargo.

O juiz alegou que a tentativa de Nessel de impedir tais agências de adoção de recusar clientes baseando-se em suas sexualidades vai contra precedentes estabelecidos no estado do Michigan.

A agência usada por exemplo por Jonker foi a St. Vincent Catholic Charities, que opera há décadas no estado, sempre aderindo à crença católica ao não permitir que as crianças sejam adotadas por casais LGBTQ+.

"A decisão [de Nessel] sugere fortemente que a intenção do Estado não é promover práticas não discriminatórias de adoção, e sim expulsar a St. Vincent, ou calar a sua crença religiosa, substituindo-a com a do próprio Estado", comentou Jonker na decisão.

Representantes da Procuradora disseram que vão revisar o texto da declaração do juiz, para determinar os próximos passos do caso.

Diversidade