Topo

Letticia Munniz se revolta com lojas por não encontrar roupas tamanho 46

De Universa, em São Paulo

26/09/2019 13h57

A humorista e modelo Letticia Munniz desabafou em sua rede social após tentar comprar uma roupa que não coube em seu corpo. No Instagram, a influenciadora capixaba mostrou que, mesmo usando tamanho 46, não conseguiu provar uma saia GG por causa do formato.

"Uma loja que faz um GG que não veste uma pessoa 46 tem mais é que se foder", ironizou Letticia no provador, mostrando a saia com o zíper aberto. Mais tarde, a humorista desabafou em nome das mulheres que têm que se encaixar nos tamanhos de roupa pré-estabelecidos.

"Não dá muito ódio quando isso acontece? Que GG é esse que não passa em uma mulher que veste 46, que nem é um tamanho grande? Que ódio! Sabe o que dá mais ódio? É que a gente não pode boicotar essas lojas, porque a gente vai se vestir o quê? Vai se amarrar na cortina? Eu sou 46, não é plus size. Loja de roupa plus size não cabe em mim e fica grande. Loja de roupa normal não cabe em mim e fica pequena. Eu vou vestir o quê, senhor? Eu vou sair de casa enrolada em toalha, é isso que eu vou fazer? Vai tomar no cu! Que raiva que dá!", disse Letticia.

"Eu, agora, Letticia, maravilhosa, sei que sou uma mulher perfeita, fico com ódio da loja, mas a Letticia de antigamente e milhões de outras mulheres sairiam da loja chorando, porque acha que está horrorosa e tem que emagrecer para caber no inferno da roupa, e não é a loja que tem que continuar com os tamanhos das roupas", prosseguiu a humorista.

"Eu ouço isso: 'Porque não vende'. Como não vende? Tem 1 milhão de mulheres grandes, a gente mora no Brasil! Esse padrão de mulher esquálida, magrela, é europeu. A gente mora no Brasil, as pessoas aqui têm um milhão de corpos de todos os tamanhos, porque é um dos países mais miscigenados do mundo inteiro. As pessoas têm corpo, são grandes, vestem 1 milhão de números, e não tem esse negócio de 'ah, plus size', porque nem devia ter isso, dividir as pessoas e colocar para comprar só ali. Vai tomar no cu, faz a porra da roupa P, M, G, GG, 3G, 4G, 5G, que as pessoas querem usar roupa bonita, não quer ficar usando roupa de tia, de avó não, que saco!", criticou.

A influenciadora revelou já ter comprado roupas masculinas porque o setor feminino não tinha modelos com a numeração dela, e que desenvolveu bulimia por se sentir infeliz sem roupas para o seu corpo.

"Eu tive que comprar uma camisa social extra GG da seção masculina porque também não tem feminina para caber em mim, que uso 46. Quantas vezes já saí de loja chorando, chorando! Quantos anos da minha vida, 28 anos, passei infeliz, tomando remédio, fazendo dieta, tomando laxante, com 10, 12 anos anos eu tive bulimia, para caber uma roupa de loja! Gente! Será que vocês não percebem o que fazem com as mulheres, com a cabeça das mulheres, que tem gente infeliz, tem mulher trancada dentro de casa para não sair com os amigos e vê-los bebendo e comendo porque ela quer emagrecer para caber em roupa? Gente, isso é um absurdo que não tem tamanho!", desabafou.

Autoestima