Topo

Sexo

Como em Elite: 8 coisas que você precisa saber antes de encarar um ménage

Ester Expósito e Álvaro Rico em cena de "Elite": ménage é uma boa ideia? - Reprodução
Ester Expósito e Álvaro Rico em cena de "Elite": ménage é uma boa ideia? Imagem: Reprodução

Heloísa Noronha

Colaboração com Universa

24/09/2019 04h00

Os personagens da série Elite, que está em sua segunda temporada na Netflix, já viveram um ménage. O resultado não é o mais empolgante: o namoro terminou e a garota ficou com o terceiro elemento. Acontece. A atriz Demi Moore declarou recentemente que foi um erro ter topado fazer sexo a três com o então marido e ator Ashton Kuchter: "Eu queria mostrar a ele o quão grande e divertida eu poderia ser", ela falou.

Existem de fato algumas regras para que esse tipo de prática seja incrível para os envolvidos: a) seja consensual para os envolvidos; e b) haja um diálogo honesto e muita reflexão sobre o quanto e como a experiência pode impactar no relacionamento. Para evitar armadilhas, inspire-se nessa dicas:

1. Converse muito com o par antes de tomar a decisão

A fantasia é só dele ou você também tem vontade? Você quer fazer sexo a três por desejo próprio ou por influência de alguém? Pensa em topar só para bancar a liberal ou para agradar o parceiro? Sente algum tipo de pressão para experimentar? Todas essas perguntas são cruciais. Qualquer tipo de inovação no relacionamento precisa ser discutida pelo casal e decidida a dois. Não faça nada que não esteja 100% segura, nem manipule o outro para atendê-la.

2. Na hora pode rolar ciúme

Se você faz a linha ciumenta ou carente, desista do ménage. Porém, mesmo que seja mais tranquila em relação a isso, tirar uma fantasia do plano da imaginação e levá-la para a realidade pode não acontecer conforme o planejado. Você é humana e, como tal, tem sentimentos e reações que nem sempre pode prever ou controlar. Mesmo a mais segura e empoderada das mulheres pode balançar ao ver o par trocar carinhos com outra na cama.

3. Se o ménage for uma tentativa de melhorar uma relação que vai mal, as coisas podem piorar

Em muitos casos, a resolução de dar uma sacudida no relacionamento apimentando o sexo nada mais é do que uma tentativa de resolver outros problemas, como comunicação truncada, mágoas e ressentimentos guardados e traições, entre outros. Trata-se de uma falsa ilusão. Fantasias não salvam casamentos nem relações falidas, muito pelo contrário: na hora H, diante de um desafio diferente, novos conflitos podem surgir e até conduzir ao ponto final. Antes de buscarem "esquentar" o sexo, conversem honestamente sobre o que vem atravancando a convivência e o vínculo entre vocês.

4. Proteção é fundamental

Ninguém do trio deve abrir mão de se proteger contra IST's (infecções sexualmente transmissíveis). Camisinha é um item obrigatório na transa! Quando o homem for mudar da penetração vaginal para anal ou vice-versa deve trocar o preservativo - e ao trocar de parceira também. Outra dica é, se quiser preservar sua intimidade, tome muito cuidado para que nenhum vídeo ou imagem sejam registrados no momento.

5. A outra mulher deve ser escolhida com cuidado

Vocês devem se sentir à vontade com o terceiro vértice da transa -- e essa é uma questão bastante pessoal. Enquanto alguns casais preferem transar com uma amiga comum, outros preferem contratar os serviços de uma garota de programa ou buscar companhia em redes sociais e sites de encontros. Uma conhecida pode parecer uma opção mais segura para alguns, por outro lado, pode gerar complicações. Como você vai reagir quando encontrá-la novamente? E como vai lidar sabendo que seu parceiro pode encontrá-la em alguns momentos da vida novamente? O envolvimento afetivo é um possível risco, não só da parte do seu parceiro como da sua também. Em se tratando de uma profissional, um possível reencontro é algo bem difícil. Porém, ao mesmo tempo em que a experiência dela pode ajudar o casal a destravar, há o risco de intimidar e gerar conflitos. Já uma desconhecida convidada virtualmente num aplicativo, por exemplo, pode levar o trio a fazer coisas diferentes, mas pode causar ciúme.

6. Fantasias sexuais também têm regras

Antes de partir para os "finalmentes", é bom definir papéis. A terceira pessoa precisa saber que papel ela irá desempenhar. Será passiva, com poucas iniciativas, ou ativa fazendo o que ela tem vontade também? Vai transar com um só, com os dois ou ficar de voyeur, apenas observando a ação? É interessante que você e seu parceiro deixem tudo claro para ela. Limites também devem ser estabelecidos. Alguns casais topam tudo entre quatro paredes — carícias, beijos, sexo oral, anal - mas outros se sentem desconfortáveis com um pouco mais de ousadia. Conversem bem sobre esses detalhes antes de se jogarem nos lençóis.

7. Tudo bem desistir da experiência na hora H

Ciúme, falta de química, desconforto, pouco tesão, dificuldade de entrarem em sintonia... São muitas as razões que podem fazer com que você trave no momento. Sinta-se à vontade para dizer "não" e cair fora. Ninguém é obrigado a fazer algo que não queira, seja lá qual for o motivo.

8. Você pode amar a experiência

Embora o ménage seja uma fantasia considerada tipicamente masculina -- muitos homens se sentem poderosos ao "darem conta" de duas mulheres na cama --, você pode curtir a experiência também, e muito! Carícias e beijos diferentes, toques novos, sensações intensas e até uma interação mais quente entre você e o par podem tornar a vivência gostosa para o seu repertório. E não é porque gostou que precisa repetir sempre, ok? Você é livre para fazer o que tem vontade.

Fontes: Marcos Santos, sexólogo, terapeuta, conselheiro sexual e especialista em Sexualidade Humana do portal Sexo Sem Dúvida; Ricardo Desidério da Silva, sexólogo e docente do Mestrado em Educação Sexual da Unesp/Araraquara e Rosely Salino, psicóloga, sexóloga e terapeuta de casal, de São Paulo (SP).

Mais Sexo