Topo

Moda

Designer brasileira de biquíni de Demi Lovato criou marca com R$ 40 mil

Izabela Guedes e Demi Lovato se conheceram na academia que frequentam. "Não imaginei que ela faria um post marcando a marca" - Reprodução/Instagram
Izabela Guedes e Demi Lovato se conheceram na academia que frequentam. "Não imaginei que ela faria um post marcando a marca" Imagem: Reprodução/Instagram

Natália Eiras

De Universa

18/09/2019 04h00

No último domingo (15), um biquíni brasileiro conquistou os veículos de comunicação de celebridades. É que a cantora Demi Lovato, porta-voz de "body positivity", publicou uma foto usando um modelo cortininha, muito comum nas praias do Brasil.

"Sem photoshop, por favor", a artista escreveu na legenda da imagem. O look é da Maré Maré Swimwear, marca criada por Izabela Guedes, 29. Nascida em São Paulo, a empreendedora mora há três anos em Los Angeles, nos EUA, para onde se mudou para trabalhar como modelo. Há um ano, ela decidiu levar a moda praia brasileira para o mercado norte-americano. "Quis trazer o biquíni que eu gosto e uso. Com um corte menor, em cores alegres", conta Izabela em entrevista para Universa.

Antes do lançamento da marca, no começo do ano, Izabela e Demi Lovato se conheceram na academia que frequentam. "A gente sempre se trombava lá, por isso a gente se seguia no Instagram", conta. Quando começou a trabalhar as redes sociais da Maré Maré, a modelo-empresária não se acanhou e mandou uma mensagem para a artista.

Izabela Guedes, 29, criou a Maré Maré no começo desse ano. "Quis produzir as peças no Brasil para que eu pudesse fazer algo pelo meu país" - Arquivo Pessoal
Izabela Guedes, 29, criou a Maré Maré no começo desse ano. "Quis produzir as peças no Brasil para que eu pudesse fazer algo pelo meu país"
Imagem: Arquivo Pessoal

"Perguntei se podia mandar um biquíni e disse que, caso ela gostasse, se ela poderia me mandar uma foto usando o modelo. E ela ama o Brasil, pratica o jiu-jitsu brasileiro, então foi bem aberta." A publicação no Instagram, no entanto, foi uma surpresa. "Não imaginava que ela marcaria a marca e seria tão blogueira. Fiquei muito feliz."

O biquíni da Maré Maré que Demi Lovato usou custa cerca de R$ 700: a parte de cima sai por US$ 90 (R$ 360) e a de baixo por US$ 85 (R$ 340). "Os americanos reclamam do preço, mas não quero ser uma Forever 21 ou uma H&M", afirma. "É um conjunto exclusivo, que você não vai encontrar em uma fast fashion." Mesmo com o preço salgado para o padrão norte-americano, o modelo usado pela cantora está bombando. "Tenho apenas mais 19 ou 20 peças disponíveis. Tenho recebido muitos pedidos."

Demi exaltou em seu Instagram que o biquíni da Maré Maré tem a parte de trás no "estilo brasileiro", ou seja, menor do que é comum nos EUA. "Quando cheguei aqui, achei que as pessoas iriam estranhar o modelo, mas, na realidade, as americanas têm usado até versões menores do que as que eu vendo", diz Izabela. Porém, apesar do biquíni de oncinha ter sido o escolhido pela cantora, o favorito dos consumidores da marca é, de acordo com Izabela, o verde neon. "Porque a cor está na moda."

De maquiadora no Brasil à modelo e designer nos EUA

Antes de ser modelo, Izabela era maquiadora. Apaixonada por moda, ela tentou trabalhar como modelo no Brasil, mas não conseguia muitos trabalhos por causa de seu tipo de corpo. "O mercado queria meninas muito magras e eu sempre tive bumbum. Gosto de ir à academia, mas não queria emagrecer, então decidi sair do país." Ela se mudou para Los Angeles, onde o então namorado morava, com US$ 1.000 (por volta de R$ 4.000) no bolso. "Morei duas semanas em um hostel, mas as coisas começaram a dar certo rápido."

Por conta das sessões de fotos e dos eventos em que ia, Izabela logo fez amizades no mundo da moda e transformou seu olhar sobre o mercado. "Antes não tinha tanto acesso aos pequenos designers, porque no Brasil moda assinada é muito cara, inclusive a de pequenos produtores", diz. Assim, nasceu a vontade de ter a própria etiqueta. "E, por ser brasileira e amar praia, é orgânico que eu invista na moda para praia. Meti a cara e investi o meu próprio dinheiro, não tenho nenhum sócio comigo."

Neste ano, ela pegou suas economias, que somavam US$ 10 mil (R$ 40 mil), para produzir as primeiras peças da Maré Maré. "Fui para o Brasil para confeccionar as roupas porque queria fazer algo pelo meu país, e também porque no Brasil as pessoas teriam mais facilidade em fazer o tipo de biquíni que eu queria, elas já sabem fazer." Para deixar a marca mais sustentável, pesquisou por confecções sem uso de mão de obra análogas à escravidão. "Também não temos desperdício. Quis fazer tudo certinho."

Com a repercussão da publicação de Demi Lovato, Izabela ficou empolgada em expandir a Maré Maré. "Quero começar a vender também no Brasil ainda neste verão", planeja. Ela fica emocionada quando perguntada sobre que outra celebridade ela gostaria de ver usando seu biquíni cortininha. "Se a Rihanna o vestisse, seria um sonho. Ela, para moda, não tem igual", diz Izabela.

Mais Moda