Topo

Homem é preso por filmar partes íntimas de mulheres com chaveiro espião

Modelo de chaveiro espião semelhante ao usado pelo homem preso em SP - Reprodução
Modelo de chaveiro espião semelhante ao usado pelo homem preso em SP Imagem: Reprodução

Rafael Ribeiro

Colaboração para o UOL, em Campo Grande

17/09/2019 16h43

Um homem de 53 anos foi preso na tarde de ontem ao ser flagrado filmando com um chaveiro-detetive uma adolescente, de 14 anos, em um supermercado do Mandaqui, na zona norte de São Paulo. Após audiência de custódia, ele foi liberado, mas responderá ao crime de importunação sexual.

Levado ao 38° DP (Vila Amália), o suspeito, que é dentista, confessou o crime e disse sofrer de uma doença. Alegou que aproveita os dias quentes para filmar mulheres em supermercados e shoppings da região pois é adepto do voyeurismo, modalidade sexual onde se excita observando outras pessoas, sem necessariamente ter relações com elas.

O caso aconteceu por volta das 13h. Quem descobriu o abuso foi o avô da menina, um policial civil de 58 anos. A adolescente escolhia um xampu quando ele observou o dentista segurando o objeto filmador em direção às nádegas da jovem.

Segundo a polícia, assim que percebeu ter sido flagrado, o dentista quebrou o cartão de memória do chaveiro. Quando os investigadores do DP chegaram, ele já tinha sido contido pelos seguranças do local, que impediram que ele fosse agredido pelo avô.

Em seu depoimento, o dentista alegou que comprou o aparelho como forma de proteção. O objetivo era filmar suspeitos de assalto, pois já fora vítima duas vezes antes. Mas depois começar a usar o chaveiro para filmar mulheres que usavam roupas curtas em dias de sol.

Ainda à polícia, o dentista disse que cometia o abuso de maneira compulsiva, sempre aproveitando os dias quentes e o fato de as mulheres utilizarem roupas curtas.

O acusado alegou ainda que não distribuía as imagens registradas e que as mantinha em um HD externo, localizado e apreendido pela polícia. Nas imagens, há closes em regiões das nádegas, seios e genitálias de mais de 200 vítimas.

O dentista acabou indiciado por importunação sexual. Foi encaminhado à carceragem do 72° DP (Vila Penteado), onde foi liberado nesta manhã para responder ao crime em liberdade após passar por audiência no Fórum Criminal da Barra Funda.

Mais Violência contra a mulher