Topo

Bebê morre afogada em lago no AP; padrasto assume crime e alega ciúme da ex

Messias Machado Barbosa assumiu ter jogado a enteada, de 1 ano, em um lago em Macapá Imagem: Divulgação/Polícia Civil AP

Abinoan Santiago

Colaboração para Universa, em Ponta Grossa (PR)

16/09/2019 13h25Atualizada em 16/09/2019 19h34

Uma bebê de um ano foi encontrada morta ontem em um lago de uma área de periferia, no bairro Universidade, na Zona Sul de Macapá. Em depoimento à Delegacia de Homicídios, o padrasto da menina confessou tê-la matado. Messias Machado Barbosa, 29, disse que cometeu o assassinato por não aceitar o fim do relacionamento com a mãe da criança e ter ciúme dela.

De acordo com o delegado Wellington Ferraz, o crime teria acontecido entre 0h e 1h de domingo. Horas antes, no sábado (14), o suspeito foi à casa da namorada no mesmo bairro.

Lá, a mulher decidiu terminar o relacionamento ao ser vítima de uma tentativa de agressão durante uma discussão entre ambos. O desentendimento teria sido motivado pela recusa da mulher em sair com ele.

A namorada fugiu de casa e tentou se esconder na residência de uma vizinha. A filha ficou aos cuidados de uma tia. Em um momento de descuido, segundo as investigações, Messias retornou à residência e raptou a enteada. A menina havia completado um ano um dia antes, na sexta-feira (13).

Messias levou a criança para a casa onde morava. A bebê teria dormido no imóvel e acordado momentos depois. Em um vídeo que circula nas redes sociais, o suspeito disse que decidiu devolvê-la à mãe, mas que durante o caminho, resolveu arremessá-la no lago, fugindo logo em seguida.

"Ela foi jogada na área alagada e veio a óbito por afogamento. No momento, ele estava transtornado pelo término do relacionamento. No sábado, houve uma discussão entre a mãe da criança e o suspeito (...) Ele disse que agiu em momento de loucura, mas que sabia o que estava fazendo", disse o delegado, que investiga o caso.

No vídeo, Messias Barbosa relata que raptou a criança ao ficar enfurecido ao retornar à casa da namorada e não a encontrar, imaginando que ela havia saído para a festa depois da discussão.

A família da bebê foi à casa do suspeito, mas não encontrou nenhum dos dois no imóvel. Moradores encontraram o corpo da vítima boiando na manhã de domingo. A área alagada fica em uma região composta por palafitas. A menina foi arremessada viva no lago coberto por plantações.

"A gente [ele e a namorada] ia sair para uma festa, mas ela não quis porque eu tinha bebido. Aí eu falei que ia para casa dormir e ela disse que não queria dormir comigo e eu fui embora. Cinco minutos depois voltei e não ela estava mais lá, foi nessa hora que fiquei com raiva porque pensei que ela tinha saído. Eu peguei a neném para dormir na minha casa, mas resolvi levar de volta para a casa da mãe. Quando chegou mais ou menos no meio do caminho tive outra ideia, de deixar a neném [no lago] ", confessou Messias.

Por meio de denúncia, o Batalhão de Operações Especiais (BOPE) prendeu o suspeito no bairro Palmeira, na Zona Norte de Macapá, no fim da tarde de domingo. Ele foi autuado em flagrante pelo crime de homicídio qualificado por motivo torpe e abandono, sendo encaminhado à penitenciária.

A Polícia Civil aguarda o laudo conclusivo do Instituto Médico Legal para saber se a criança sofreu algum tipo violência física ou sexual antes de ser arremessada viva no lago. A juíza Luciana Barros de Camargo, do Núcleo de Garantias do Fórum de Macapá, decretou a prisão preventiva de Messias.

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Bebê morre afogada em lago no AP; padrasto assume crime e alega ciúme da ex - UOL

Obs: Link e título da página são enviados automaticamente ao UOL

Newsletters

A newsletter para mulheres que vivem em um mundo em evolução. Os debates mais importantes da semana, os memes que vão fazer você rir, as mulheres que foram destaque. Receba toda sexta.

Violência contra a mulher