Topo

Aluna comete suicídio após ser expulsa da sala por menstruação que vazou

Getty Images
Imagem: Getty Images

De Universa

16/09/2019 14h59

Uma jovem de 14 anos cometeu suicídio, no Quênia, depois que supostamente foi envergonhada pela professora por deixar vazar sangue da menstruação pela roupa.

De acordo com o "The Daily Nation", Jackline Chepngeno teria sido expulsa da sala de aula quando menstruou pela primeira vez, na sexta-feira (13).

A mãe de Jackline, Beatrice Koech, disse ao jornal que sua filha não tinha um absorvente em mãos e que, ao ver o sangue em sua calça, a professora chamou a menina de "suja" e a expulsou da sala de aula, em frente à turma toda.

O episódio levou um grupo de mais de 200 pais de alunos a protestar na porta da escola, que fica na cidade de Kabiangek. Cinco deles foram presos e a as aulas foram suspensas.

Apoio político

"Juntamente com outras mulheres deputadas, sitiamos o Ministério da Educação em protesto pela menina de 14 anos que cometeu suicídio após uma professora ridicularizá-la publicamente", escreveu no Twitter Esther M. Passaris, membro da Assembléia Nacional do Quênia.

Em 2017, o país aprovou uma lei exigindo que as escolas fornecessem absorventes gratuitos às estudantes, evitando que elas faltassem à aula quando estivessem menstruadas — uma em cada 10 meninas da África Subsaariana faltam às aulas quando estão menstruadas, de acordo com o relatório de 2014 da ONU — mas o programa ainda não foi plenamente implementado.

O Ministério da Educação deve dar em breve uma resposta ao caso.

Direitos da mulher