Topo

Relacionamentos

"Me doei demais": o que fazer com sensação pós-término revelada por Scooby?

Pedro Scooby: se doou demais para Anitta? - Reprodução/Instagram
Pedro Scooby: se doou demais para Anitta? Imagem: Reprodução/Instagram

Nathália Geraldo

De Universa

13/09/2019 04h00

Em entrevista ao colunista do UOL Leo Dias, Pedro Scooby falou sobre o término do relacionamento com Anitta. Para o surfista, um dos erros que fizeram com que o namoro acabasse teve a ver com sua atitude no relacionamento.

"Eu me doei muito, entendeu? Fui muito intenso, verdadeiro, muito presente, carinhoso, atencioso, muito solícito. Acho que eu nunca disse 'não' [para ela]", revelou. "Eu tentei ser o máximo que eu pude. E não me arrependo de nada, foi incrível, foi animal".

É fato que o fim de uma relação sempre gera diferentes perspectivas do que aconteceu para que a vida a dois tivesse um ponto final. Se não há uma resposta final sobre os motivos que levam alguém a terminar um namoro, a sensação de "meu erro foi amar demais" pode acabar sendo mais comum do que imaginamos. O que fazer com esse sentimento pós-término?

Consultamos o psicólogo Yuri Busin e a psicóloga Ellen Moraes Senra, ambos atuantes na área de Terapia Cognitivo Comportamental para entender quais são as origens dessa percepção e como mudá-la para relacionamentos futuros e para se sentir bem sozinho.

"Meu erro foi amar demais" é real?

Reprodução/Instagram/pedroscooby
Imagem: Reprodução/Instagram/pedroscooby

Terminar uma relação amorosa pode provocar diversas reações em homens e mulheres -- e, por vezes, a situação é tão complicada que precisamos ter um manual para lidar com o ex e reaprender a analisar nossas emoções.

Para a psicóloga Ellen Moraes Senra, sentir que foi errado ter se doado tanto para o relacionamento é usualmente uma perspectiva de quem levou o fora, que deve ser elaborada com o tempo. "É um hábito comum quando a outra pessoa termina com você [no caso dos famosos, Anitta que terminou com Scooby]. A pessoa tem a impressão de que perdeu tempo, que fez mais do que deveria pelo casal", aponta.

"Mas é um 'erro' na visão dela. Porque se a pessoa fez tudo o que podia pro relacionamento e o outro não quis ficar com ela, o problema é do outro, e não da pessoa".

Ellen explica que essa sensação só passa com distanciamento do término. "Só depois é possível vislumbrar que talvez tenha se doado demais mesmo. Mas cabe perceber que às vezes você tinha o que doar, e a pessoa que não soube receber".

Sentimentos na balança

Yuri pondera que a "doação" emocional é um dos pesos que colocamos na balança assim que a vida a dois termina. Para o psicólogo, no entanto, é preciso avaliar o quanto essa entrega para o outro está associada a uma espera de retorno.

"Doar é justamente não esperar nada em troca. E as pessoas confundem isso, o que as faz sofrer muito. Após o término, fica essa sensação de que errou", analisa. "Agora, se a pessoa quer realmente mudar esse comportamento de mergulhar de cabeça, porque não faz bem para ela, é importante racionalizar essa decisão, não se deixar levar pelo emocional e mudar".

Cabe, neste momento, avaliar o que tem sido feito nos relacionamentos anteriores e considerar que cada pessoa é muito diferente para se relacionar, finaliza Yuri. "Não é ser menos amoroso na outra relação. Não é bem isso. Nenhum excesso é favorável".

Mais Relacionamentos