Topo

Mães e filhos


Mães e filhos

Rituais de beleza como os de Melody trazem risco para a saúde de crianças?

Melody: 12 anos, mas rituais de uma adulta - Reprodução/Facebook
Melody: 12 anos, mas rituais de uma adulta Imagem: Reprodução/Facebook

Lucas Vasconcellos

Colaboração para Universa

12/09/2019 04h00

Nesta semana, foi ao ar uma entrevista da cantora Melody, de 12 anos, para o canal no YouTube de Geisy Arruda. No vídeo, Melody fala um pouco sobre as coisas que gosta e afirma ser vaidosa -- explica sua rotina de malhação (vai ao menos três vezes por semana à musculação), pinta o cabelo (era morena e hoje está loira) e levanta 50 minutos antes de ir à escola para se maquiar --segundo a menina, o ritual básico inclui base e rímel.

Melody é apenas uma criança e não tem formação e vivência suficientes para entender algumas coisas. Mas investigar e alertar os pais que atividades típicas de adultos talvez podem apresentar riscos quando realizadas por crianças é importante.

Química no fios

A química capilar, seja ela para coloração, alisamento ou qualquer outra alteração na estrutura dos fios, sempre traz malefícios, tanto para adultos quanto para crianças. Os problemas incluem ressecamento e quebra. Também podem destruir as pontes de sulfeto, realizando alteração na forma do cabelo de maneira traumática, o que leva a desestruturação da fibra capilar ou mesmo a queda dos fios.

Contudo, como alerta o dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e do Hospital das Clínicas de São Paulo Caio Lamunier, tais danos são cumulativos e o prejuízo maior aparece com o passar do tempo. Por isso, quanto mais cedo uma pessoa começar a aplicar química no cabelo, maior será o dano ao longo da vida. Ainda de acordo com Lamunier, chapinha e utensílios do gênero, que agem sob o efeito de calor, também são desaconselhados.

Kill Bill kkk boa noitinha amores

Uma publicação compartilhada por Melody (@melodyoficial3) em

"O ideal é que os pais tentem entender o porquê da criança ou adolescente querer fazer um procedimento nos cabelos — pode ser por comportamento de grupo, dificuldade de relacionamento ou até mesmo indicar alguma depressão. Achar a motivação, questionando os filhos, é o caminho para que os pais compreendam melhor o que está acontecendo. É importante também que em casa haja a valorização da beleza natural e valorização das características da criança", alerta o especialista.

Maquiagem

Segundo Caio Lamunier, itens típicos de um estojo de maquiagem, como batom, sombra, base e esmalte (que é um pouco mais tóxico) oferecem baixos riscos dermatológicos, pois são relativamente seguros. Contudo, ele aponta que o uso precoce pode aumentar a chance de desenvolver alergias. "Na teoria, não há problema em usar. Mas as pessoas não nascem com alergias a um produto, elas se tornam alérgica conforme são expostas àquilo. Há também uma tendência natural de cada um, é verdade, mas se você coloca uma criança em contato com produtos do gênero desde cedo, aumenta a chance de sensibilização no futuro", diz.

Assim como no caso de mudanças químicas no cabelo, o dermatologista aponta que é necessário averiguar os motivos que levam uma criança ou adolescente a querer usar maquiagem com frequência: "É preciso ficar de olho quando é apenas uma brincadeira, o que é natural, já que a criança vê adultos fazendo isso, ou é um sinal de vontade de ser adulto. Hoje em dia, crianças são postas em contato com atividades de adultos muito cedo, seja na área estética ou mesmo intelectual, e isso gera uma cobrança intensa. Enquanto for uma brincadeira, é saudável, mas vale conversar e ver o que motiva tais ações. E também reforçar que o filho é bonito do jeito que é, sem o uso de aparatos.

Musculação

Esportes são sempre bem-vindos na vida de uma pessoa. A musculação citada por Melody, como aponta o pediatra e neonatologista e membro da Sociedade Americana de Pediatria Nelson Douglas Ejzenbaum, só é recomendada a partir dos 12 anos, mas com algumas ressalvas. "Nessa idade, a criança já está atingindo a puberdade (antes disso, o risco de lesões articulares é maior, pois o corpo ainda não está minimamente preparado para uma carga de exercícios). A musculação deve ser executada de maneira leve, no máximo três vezes por semana e ser acompanhada de perto por um profissional da área para que se evite sobrecarga e lesões. Se executada de maneira correta, essa modalidade não mexerá na estrutura nem no ganho de peso do adolescente, desde que ele não tenha nenhum problema ósseo ou muscular", explica.

Bora perder as gorduras amores look @hardynfitness @jumpfitnessclub ????

Uma publicação compartilhada por Melody (@melodyoficial3) em

Ainda de acordo com Nelson Douglas Ejzenbaum, as séries não podem ser como as de adultos, com pesos e repetições em excesso — é preciso respeitar o tempo e limitação de peso, estatura, massa muscular e idade do jovem. E suplementação de forma alguma deve fazer parte dessa rotina. "Os benefícios do esporte são aumento da força muscular, da autoestima e melhora da coordenação em alguns casos, pois há ganhos para a consciência corporal".