Topo

Mães e filhos

Homem que estava grávido dá à luz Antonella, por cesárea, em Itapira (SP)

Antonella nasceu na Santa Casa de Misericórdia de Itapira, dia 11, pesando 3, 450 kg e medindo 48 cm - Acervo Pessoal
Antonella nasceu na Santa Casa de Misericórdia de Itapira, dia 11, pesando 3, 450 kg e medindo 48 cm Imagem: Acervo Pessoal

Nathália Geraldo

De Universa

12/09/2019 08h49

Resumo da notícia

  • A professora do ensino infantil Taris de Souza e o auxiliar de produção Frank Teixeira tiveram um filho
  • Ela tentou fazer várias inseminações caseiras, sem sucesso
  • O marido então, homem trans, fez a inseminação: deu certo na primeira tentativa e ele está grávido
  • O bebê, Antonella nasceu hoje. Segundo eles, a cidade toda de Itapira esperava a criança

Antonella nasceu e, agora, o sonho de casal Taris de Souza, professora de ensino infantil, e Frank Teixeira, auxiliar de produção, está completo. A bebê foi especialmente aguardada por eles, claro, e por Itapira, cidade a 166 quilômetros de São Paulo, por um detalhe: quem deu à luz foi o pai, um homem trans que fez inseminação artificial -- após várias tentativas caseiras feitas por Taris.

"Eu participei do parto, cortei o cordão umbilical da Antonella e foi tudo maravilhosamente bem. Agora, eu vim para casa cuidar dos cachorros e dar uma arrumada, o Frank está no hospital com a mãe dele. Acredito que amanhã a gente tem alta", disse Taris, mãe de Antonella, para Universa.

A chegada da bebê, por cesariana, foi uma alegria para o casal que, desde o início da semana, se preparava para o parto.

Antonella, que significa "digna de apreço", veio ao mundo por volta das 18 horas de ontem, com 48 cm e 3,450 kg, na Santa Casa de Misericórdia de Itapira. O pai passa bem.

O casal revelou que Antonella terá o nome de duas mulheres na certidão de nascimento, enquanto Frank não muda seus documentos. Ela também será amamentada pelo casal.

Homem grávido: como foi gestação

Taris e Frank contaram para Universa que a professora de educação infantil fez 11 tentativas de inseminação caseira, sem sucesso. Um doador colocava o material em potinhos usados para coleta de exame de urina e Taris usava uma seringa para transferi-lo para o corpo.

Frank, que não estava tomando ampolas de testosterona há seis meses, resolveu testar nele mesmo. E engravidou, na primeira e única vez que fez o procedimento. A novidade só foi dividida com a parceira depois de três semanas.

Durante a gestação, os dois tiveram apoio de seus respectivos colegas de trabalho; Frank foi eleito o "Papai do Ano" em sua empresa e Taris recebeu presentes de amigos e alunos da escola em que trabalha.

Frank afirmou que não estava preocupado com a necessidade de explicar para a Antonella a configuração familiar do trio. "Quando ela estiver em uma idade em que entenderá mais as coisas, vamos explicar. Mas o tempo passa e as pessoas vão ficando mais evoluídas. Ainda assim, estamos preparados para o preconceito", contou para Universa.

História do casal

Taris e Frank se conheceram na academia, há seis anos, quando ele ainda se identificava com o gênero feminino. Ele começou a tomar hormônios masculinos após dois anos de relacionamento. Frank não fez mastectomia e o casal pensa em amamentar juntos Antonella.

Frank Teixeira revela motivo que o levou a engravidar

RedeTV! Entretenimento

Mais Mães e filhos