Topo

Mães e filhos

9 coisas a que toda mãe deveria ter direito logo após dar à luz

Mães recentes só querem o melhor, e merecem uma ajuda - Getty Images
Mães recentes só querem o melhor, e merecem uma ajuda Imagem: Getty Images

Heloísa Noronha

Colaboração para Universa

08/09/2019 04h00

Nem sempre o parceiro consegue somar a licença-paternidade com as férias e ficar em casa durante as primeiras semanas após a mãe deixar o hospital com o filho nos braços. A nova rotina, principalmente para as mães de primeira viagem, pode ser confusa, caótica e muito, muito cansativa. Em algumas situações, as pessoas ficam tão encantadas com o bebê que se esquecem de que a mulher, tão bem cuidada durante os nove meses de gestação, também precisa de apoio, ajuda e mimo nessa hora. O primeiro mês é complicado, mas poderia ser mais leve com algumas atitudes que toda mãe merece, como as listadas a seguir:

1. Receber a ajuda que realmente precisa

Cada mãe é de um jeito e é preciso respeitar essa particularidade. Por exemplo, algumas mulheres que acabaram de dar à luz não vêem a menor dificuldade em preparar uma refeição rápida, mas não conseguem administrar a nova rotina com os cuidados com a roupa (lavar, passar, dobrar, guardar...). Outras mulheres não se preocupam com as tarefas domésticas, mas gostariam de recuperar as energias com um banho quente, uma soneca de meia hora à tarde, e adorariam que alguém vigiasse o bebê nesses momentos. Ou seja: ofereça o que realmente vai fazer a diferença, não só aquilo que acredita estar disponível, certo?

2. Ter auxílio sem se sentir invadida

Nem sempre a mulher (principalmente a mãe de primeira viagem) consegue admitir que precisa de ajuda. Muitas querem provar a si mesmas que conseguem dar conta de tudo e, mesmo que precisem de algo, não vão falar. Cooperar sem se intrometer ou impor algo é o grande segredo. Munidas de boa vontade, algumas pessoas, principalmente as avós, acabam exagerando na dose e querendo fazer as coisas do próprio jeito. Isso só gera insegurança e ansiedade na mãe que precisa de tranquilidade para se adequar à nova rotina.

3. Receber apoio emocional é essencial

Vale a pena estar disponível nem que seja para simplesmente ouvir a mulher sobre seus sentimentos em relação ao parto, ao bebê, ao seu novo papel de mãe. Logo após dar à luz, muitas mulheres ficam com seus sentimentos e emoções "à flor da pele": alegria, tristeza, insegurança, angústias, medos... Dê o ombro amigo pra a nova mamãe desabafar e chorar! Os primeiros dias de amamentação são difíceis e, na maior parte dos casos, dolorosos. Permitir que ela fale o que precisa e abraçá-la são atitudes reconfortantes.

4. Lidar com os outros filhos

A chegada de um novo ser humaninho muda toda a dinâmica da casa. Quando o casal tem outras crianças, depois que o encantamento inicial passa é possível que elas sejam tomadas pelo ciúme. Afinal de contas, todas as atenções estão voltadas para os cuidados com o bebê. Nessas circunstâncias, poder contar com uma amiga que possa distraí-las, levá-las ao cinema, a um parque ou para tomar um sorve, ajuda bastante.

5. Abrir mão de querer tudo em ordem

Toda mãe tem o direito - e deve usufruir plenamente disso - de, pelo menos no primeiro mês após o nascimento do bebê, reduzir as expectativas em relação à organização da casa. Numa medida saudável, o "caos" faz parte do pacote na forma de fraldas para todos os lados, roupas caseiras, copos que ficam na pia para serem lavados mais tarde. Não se trata de não se incomodar com a bagunça, mas de elencar prioridades.

6. Descansar durante o dia

Por mais que a mulher tenha a ajuda do parceiro durante as madrugadas, para as trocas de faldas e para tirar o bebê do berço para mamar, o fardo maior é mesmo da mãe. A recuperação pós-parto, a amamentação e os hormônios deixam a ex-gestante completamente exaurida. Assim como ocorreu durante os nove meses de gestação, a mulher precisa de cuidados adequados também nesse período. Dormir quando o recém-nascido estiver dormindo e ter um momento de tranquilidade e descanso são as principais coisas de que uma mãe necessita nos primeiros dias de vida do bebê. O pai, amigos próximos e familiares podem ficar de olho na criança enquanto a mãe tira uma soneca ou toma um banho relaxante sem pressa.

7. Ser mimada também (por que não?)

Vai levar lembrancinha para o bebê? Não custa nada - ou melhor, pode custar muito pouco - levar para a mãe também. Vale tudo: flores, uma vela aromática, uma caixa de sabonetes perfumados, uma almofada para ela amamentar com mais conforto e por aí vai.

8. Não receber julgamentos

Toda mãe recente procura dar o seu melhor, com o conhecimento, crenças e valores que tem. Então, nada de julgar ou dar palpites! Deixe-a fazer as coisas do jeito dela. Apenas tente dar uma força no que for necessário, nem que seja apenas a escutando.

9. Receber visitas ajudadoras

Visitas que colocam a mão na massa deveriam ser obrigatórias. Não custa nada guardar o que está fora do lugar, encher a banheira para o banho do bebê, segurá-lo para a mãe ir ao banheiro em paz, lavar a louça, preparar um café ou até mesmo uma refeição rápida... O recém-nascido toma muito tempo. Enfim, qualquer tarefa nessa hora é muito bem-vinda!

Fontes: Carolina Farina, coach e especialista em liderança empreendedora feminina, de Curitiba (PR); Deborah Moss, neuropsicóloga especialista em comportamento infantil e mestre em Psicologia do Desenvolvimento pela USP (Universidade de São Paulo); Mônica Bayeh, psicóloga clínica e psicoterapeuta do Rio de Janeiro (RJ), e Patrícia Atanes, psicóloga clínica, de São Bernardo do Campo (SP)

Mães e filhos